-Publicidade-

Pacheco rejeita especulações e vê com ‘naturalidade’ troca nas Forças Armadas

Presidente do Senado lembrou que é prerrogativa do presidente da República realizar mudanças no governo
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Ao comentar a troca no comando das Forças Armadas, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que vê as substituições com “naturalidade” e que não se permite fazer nenhum tipo de “especulação” sobre uma motivação que não seja o aprimoramento do governo.

Após a queda do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, os comandantes do Exército, Edson Leal Pujol, da Marinha, Ilques Barbosa Júnior, e da Aeronáutica, Antonio Carlos Moretti Bermudez, deixaram o cargo nesta terça-feira, 30.

Leia mais: “‘Não há movimentos golpistas’, diz fonte do Estado-Maior”

“Eu não consigo antever o que é a intenção exata do presidente da República. A minha obrigação como presidente do Senado é acreditar e confiar que se trata de uma troca ministerial dentro dos limites da prerrogativa do presidente da República de fazer substituições”, disse Pacheco.

Pacheco ressaltou que as Forças Armadas têm o compromisso constitucional de não promover a guerra, mas de preservar e garantir a paz.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. Boa Pacheco. E prá não virar o Pachecão, bota logo prá frente:
    PEC DA BENGALA
    PEC DA PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA
    VOTO IMPRESSO EM URNA ELETRÔNICA.
    O resto meu caro, é o cachorro comendo o rabo!!!Prende, solta bandido. Zé Dirceu enchendo o saco e falando pelas tabelas.
    Bota a coisa em ordem. Só esses 3 indicados ao “oscar” acima levam o Brasil à maior potência mundial e olhe, de sobra mandamos o “comunismo” de volta para a China, alguns ministros togados às toradas em Lisboa ou Madri, e bandidos lesa-pátria como Lula e seus sectários jamais tentarão novamente nos mostrar o quanto são incompetentes. Pôrra, incompetentes e gatunos..

  2. Bolsonaro demorou demais para a troca do ministro da defesa e dos comandantes militares. A pretexto de demonstrar equidistância do presidente, em última instância o comandante em chefe, vinham sendo instrumentalizados, consciente ou inconscientemente, contra o presidente Bolsonaro. Aliás, como simples soldado conscrito e orgulhoso reservista do glorioso exército brasileiro, e portanto conhecedor do senso de hierarquia e disciplina inerente à instituição, causou-me espanto quando ano passado, no Rio Grande do Sul, o presidente Bolsonaro ficou com a não estendida ao cumprimentar o comandante do exército que a recusou e retribuiu o gesfo dando-lhe o cotovelo. Muito simbólico…

  3. Poxa, não teve nenhuma orientação do alto comando, para que os chefes do Executivo e do legislativo, na era Alcolumbre, tirassem a serragem do piso da barbearia que atende a máfia esquerdopata que toma conta do stf.

  4. Esse Pacheco é um Alcolumbre engomadinho. É mais um, não vale nada. O que ele deveria fazer, se fosse correto seria colocar em pauta o impeachment do cabeça de ovo.

    1. O Xandão do PCC está pressionando todo mundo, no senado e arredores para tentar impedir de pautar o pedido de impeachment.
      Não esqueça que o cabeça de ovo é bandido….
      Se pautarem esse pedido, vai ser bonito de ver a confusão com os senadores de rabo preso….

  5. O Pacheco e o Lira deram luz amarela no Presidente na semana que passou, hoje o Presidente Bolsonaro ligou o holofote VERMELHO, e o corajoso do Pacheco já começou a miar.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.