Bolsonaro vai definir seu futuro partidário em março

Presidente fala em conversas com Progressistas, PTB e outros partidos
-Publicidade-
O presidente Jair Bolsonaro: três meses para definir o seu futuro partido político | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro: três meses para definir o seu futuro partido político | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil | presidente jair bolsonaro - próximo partido político

Presidente admite conversas com Progressistas, PTB e outros partidos

presidente jair bolsonaro - próximo partido político
O presidente Jair Bolsonaro: três meses para definir o seu futuro partido político | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
-Publicidade-

O mandatário do país deve se filiar a um partido político daqui três meses. A informação foi dada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro na tarde desta terça-feira, 15. Ele deixou clara a intenção de resolver sua situação partidária até março de 2021.

Leia mais: “‘Não vou tomar vacina e ponto final’, reforça Bolsonaro”

Nesse sentido, o presidente da República não demonstrou entusiasmo com projeto batizado de Aliança pelo Brasil. Segundo Bolsonaro, a legislação atual torna difícil e burocrático o processo de criação de partido político. “Complicado”, lamentou em entrevista concedida à TV Bandeirantes. “Seria mais fácil se eu tivesse pensado nisso há cinco ou seis anos”, prosseguiu.

Eleito presidente da República em 2018 pelo PSL, Bolsonaro deixou a legenda em novembro do ano passado. Desde então, permanece sem filiação partidária. Caso o Aliança pelo Brasil realmente não avance, ele revelou manter conversas com o Progressistas, o PTB e “outros partidos pequenos”, os quais não revelou os nomes — e nem quantos são.

Filiações

Jair Bolsonaro ingressou na política partidária na década de 1980 pelo PDC, sigla que foi sucedida por PPR e PPB (hoje chamado de Progressistas). Antes de ingressar no PSL, ele ainda passou por PTB, PFL e PSC.

Eleições 2022

Ainda sem fazer parte de nenhum partido político, Bolsonaro deixou em aberto a possibilidade de concorrer — ou não — novamente à presidência da República em 2022. Afirmou não ser o momento de se definir a disputa. Na entrevista à TV Bandeirantes, ele ainda abriu a possibilidade de “alguém melhor” receber seu apoio no próximo pleito presidencial.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.