PDT formaliza Ciro Gomes como pré-candidato ao Planalto

'Acabamos de aprovar a pré-candidatura de Ciro Gomes, por unanimidade', anunciou o presidente do PDT, Carlos Lupi
-Publicidade-
Pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes | Foto: Reprodução/YouTube
Pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes | Foto: Reprodução/YouTube

O PDT lançou oficialmente nesta sexta-feira, 21, a pré-candidatura do ex-governador do Ceará Ciro Gomes à Presidência da República.

O lançamento da pré-candidatura ocorreu em ato na sede do PDT em Brasília, no encerramento da convenção nacional do partido.

-Publicidade-

“Acabamos de aprovar a pré-candidatura de Ciro Gomes, por unanimidade, por aclamação”, anunciou o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. O lema da campanha será “A rebeldia da esperança”.

O evento também foi marcado por homenagens ao ex-governador do Rio Grande do Sul Leonel Brizola, fundador do PDT, que morreu em 2004. Brizola completaria 100 anos neste sábado, 22.

Ciro Gomes não é consenso dentro do partido. Integrantes da bancada do PDT pressionaram a cúpula da legenda para que a candidatura fosse retirada.

Esta será a quarta tentativa do político de chegar ao Palácio do Planalto. Ele concorreu nas eleições de 1998, 2002 e 2018, mas nunca chegou ao segundo turno. Na última eleição, recebeu 13,3 milhões de votos (12,47%) e ficou em terceiro lugar.

Ciro Gomes foi ministro da Fazenda entre setembro de 1994 e janeiro de 1995, período final do governo Itamar Franco e início do governo Fernando Henrique Cardoso.

Ele também foi ministro da Integração Nacional, entre janeiro de 2003 e março de 2006, no primeiro mandato de Lula (PT). Ex-governador do Ceará e ex-prefeito de Fortaleza, ele já foi deputado federal e está no sétimo partido.

Outros partidos também já lançaram oficialmente pré-candidatos ao Palácio do Planalto:

Cidadania – Alessandro Vieira, atual senador por Sergipe;
Avante – Andre Janones, atual deputado por Minas Gerais;
Novo – Felipe d’Ávila, cientista político;
PSDB – João Doria, atual governador de São Paulo;
UP – Leonardo Péricles, presidente do partido;
MDB – Simone Tebet, atual senadora por Mato Grosso do Sul.

Não foram anunciados oficialmente ainda, mas estão cotados para participar das eleições para a Presidência da República: Jair Bolsonaro (PL), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Rodrigo Pacheco (PSD) e Sergio Moro (Podemos).

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. Sabem o que é isso??? Desperdício de verba pública, dinheiro bom do pagador de impostos que vai via fundão para o partido despejar dinheiro neste inútil, que nunca foi nada, não é e jamais será p…. nenhuma. O critério para eleger alguém, qq cargo federal, deve ser o posicionamento, se for contra o fundão já é um começo, se for a favor chuta que nem bola.

  2. Ciro fez um excelente discurso! Só errou de época. Sua verborragia caberia bem a eleitores dos anos 1950. Imagina hoje. Você pequeno poupador tira 5 mil da poupança e investe em tesouro direto financiando a dívida federal. Aí o Ciro maluco assume e diz q essa dívida ele não reconhece mais, e ainda te chama de um desgraçado de um rentista. É candidato ao primeiro hospício q existir por aí.

  3. Campanha eleitoral para trastes como esse, entre muitos outros por aí, é simplesmente a justificativa perfeita para que os seus partidos justifiquem os gastos com a grana do fundão eleitoral. Por isso cada ano aumenta mais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.