Pedido de vista suspende julgamento de vereador petista que invadiu igreja

Sessão foi remarcada para semana que vem
-Publicidade-
O vereador do PT Renato Freitas, durante invasão a uma igreja católica em Curitiba - 05/02/2022 | Foto: Reprodução/Instagram/Renato Freitas
O vereador do PT Renato Freitas, durante invasão a uma igreja católica em Curitiba - 05/02/2022 | Foto: Reprodução/Instagram/Renato Freitas

O Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba suspendeu nesta sexta-feira, 6, a sessão que pode cassar Renato Freitas, vereador petista que invadiu a Igreja do Rosário, no centro histórico de Curitiba, em 5 de fevereiro deste ano.

A vereadora Maria Letícia (PV) pediu vista ao relatório de Sidnei Toaldo (Patriota). Maria é vice-relatora do processo administrativo disciplinar contra o petista e pode votar com o relator ou apresentar um segundo parecer.

Pelo regimento do conselho, Maria Letícia tem três dias úteis para analisar o relatório, mas a vereadora comprometeu-se a devolvê-lo para votação já na segunda-feira. Dessa forma, o presidente do Conselho de Ética, Dalton Borba (PDT), marcou nova reunião para a terça-feira 10, às 14 horas.

-Publicidade-

Ao defender a cassação de Freitas, Toaldo descartou as infrações de invasão da igreja e interrupção de culto religioso, mas enquadrou Freitas nos atos de perturbação e manifestação política no interior de templo religioso. Segundo o relatório, os motivos são suficientes para caracterizar a quebra de decoro parlamentar por abuso de prerrogativas, o que levaria à perda do mandato.

Vereador petista que invadiu igreja recebeu apoio de Lula

Alguns dias depois de Freitas invadir a igreja, o ex-presidente Lula saiu em defesa do vereador. “Por ser jovem, esse menino cometeu um abuso. Ele tem o direito de pedir desculpas e de ser perdoado”, disse.

Lula afirmou ainda que o PT vai articular-se na Câmara Municipal em prol de Freitas. “Nós vamos te defender”, prometeu. “Não vamos querer que você seja cassado. Não vamos permitir que a direita conservadora da Câmara te casse.” Lula considerou o episódio de invasão como “deslize político”.

Segundo Lula, Freitas deveria ter adotado outras estratégias, como pedir para o padre “rezar uma missa para o povo negro” ou enviar um ofício pedindo que a igreja tenha “um, dois padres negros”. “O que não tem sentido é invadir a igreja, transformar um templo religioso em um lugar de protesto”, observou.

Leia também: “A obsessão por um George Floyd brasileiro”, reportagem de Cristyan Costa publicada na Edição 99 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. O vereador abusador e ‘deslizador’ está sendo apoiado pelo ex-presidiário que, entre outras coisas, diz que roubo de celular é um crime irrelevante e policial não é “gente”. Parece que por falta de coragem para invadir fazendas estão invadindo igrejas. Daqui a pouco invadirão creches, postos de saúde, sorveterias…

  2. O que os petistas, que nunca foram cristãos ficam a invadir a casa de Deus uns para protestar e impedir a reza, outros como o Gestas de 9 dedos para roubar votos, outros como o poste e a Manuela para se fingir de ovelhas, quando são lobos, estes inclusive comungam e perdem a Bíblia.
    Devemos expulsar os vendilhões da casa de Deus, assim como o Cristo fez.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.