Perseguição a deputado mostra hipocrisia do PSDB: ‘um peso e duas medidas’

PSDB cita o governo federal ao abrir processo de expulsão de deputado indicado à liderança da Maioria na Câmara, mas mantém senadores em lideranças correlatas
-Publicidade-
Presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo | Foto: George-Gianni/PSDB
Presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo | Foto: George-Gianni/PSDB

PSDB cita o governo federal ao abrir processo de expulsão de deputado indicado à liderança da Maioria na Câmara, mas mantém senadores em lideranças correlatas

bruno araújo - psdb - celso sabino
Presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, abriu processo interno de expulsão do deputado Celso Sabino (PA) | Foto: George-Gianni/PSDB
-Publicidade-

A perseguição da cúpula tucana ao deputado federal Celso Sabino (PSDB-PA) mostra a hipocrisia do partido. Ao vetar a indicação do parlamentar pelo Centrão à liderança da Maioria, o partido mostra que adota “um peso e duas medidas”, analisam a Oeste parlamentares tucanos aliados de Sabino. A possível expulsão do deputado dividiu a bancada.

A leitura é simples. Ao usar do poder da cúpula para tentar obstruir a indicação de Sabino à liderança da Maioria, sob a associação do cargo com o posicionamento de independência do partido em relação ao governo federal, o partido se contradiz ao manter dois senadores tucanos em posições correlacionadas no Parlamento.

Incoerência

O líder da Maioria no Congresso é o senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Pela mesma correlação sugerida pelo partido, aliados de Sabino ponderam ele não poderia ocupar o posto, uma vez que tal cargo o aproxima do presidente do Congresso e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O demista, por sinal, usa de seu poder e alinhamento com o governo para conseguir apoio à sua reeleição, como mostrou Oeste anteriormente.

Outra incoerência avaliada por aliados de Sabino é a permanência do senador Izalci Lucas (PSDB-DF) na liderança do governo do Senado. Desde 2019, ele é vice-líder do Executivo. “Pelo mesmo critério sugerido pelo Bruno [Araújo], Izalci e Roberto não deveriam ocupar seus postos”, critica um congressista.

Perseguição

A abertura do processo de expulsão de Sabino se mostra, portanto, uma perseguição da cúpula tucana, adversária política ao presidente Jair Bolsonaro, a um correligionário da oposição. Conforme Oeste explicou, Sabino é um dos parlamentares integrantes da ala opositora de Araújo.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site