PGR pede ao STF a abertura de inquérito contra Bolsonaro no caso Covaxin

Procuradoria-Geral da República quer apurar se houve prevaricação
-Publicidade-
Sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste
Sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste

A Procuradoria-Geral da República pediu ao Supremo Tribunal Federal nesta sexta-feira, 2, a abertura de inquérito para investigar o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação no caso da Covaxin. A manifestação se dá após a ministra Rosa Weber negar o pedido da procuradoria que queria aguardar a conclusão da CPI da Covid antes de decidir sobre possível investigação.

O pedido para abrir o inquérito foi feito com base em notícia-crime apresentada pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) depois de os irmãos Miranda afirmarem que teriam avisado pessoalmente o presidente sobre indícios de irregularidades na compra da vacina indiana contra a covid-19.

Leia mais: “Novo inquérito de Moraes mira bolsonaristas e filhos do presidente”

-Publicidade-

Na decisão, o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, que fez o pedido de abertura de inquérito, lembra que, segundo o relato do deputado Luis Miranda (DEM-DF), Bolsonaro se comprometeu a acionar a Polícia Federal e teria relacionado as supostas irregularidades ao deputado Ricardo Barros, o líder do governo na Câmara.

Medeiros afirma que é preciso esclarecer “o que foi feito após o referido encontro em termos de adoção de providências” e pontua que são necessárias diligências para produzir provas e apurar se houve “intuito de satisfazer interesse ou sentimento pessoal”.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 comentários

  1. Para soltar o ladrão de nove dedos, tudo é permitido. Da mesma forma, fazem de tudo para enquadrar Bolsonaro num crime de responsabilidade. Terão, primeiro, que criar novos tipos penais e, ainda, enfrentar a maior parte da população brasileira.

  2. Mais um militante petista. Cadê as compras e os pagamentos? Não foi comprada uma única dose dessa vacina. Tentam armar um golpe a todo custo com medo do Brahma da OAS perder a eleição para Bolsonaro.

  3. A PGR atende a militante Rosa, mas como não tem o que apurar, vai chegar a conclusão que todos sabemos. Não houve nada de errado no processo, portanto não houve prevaricação.

  4. Eles sabem que não vai dar em nada, mas, a manchete para desgastar o governo está pronta. “PGR pede ao STF a abertura de inquérito contra Bolsonaro no caso Covaxin”. isso vai ecoar em todas as mídias, que por sua vez, colocam seus comentaristas para fazerem alusões e na ponta o ouvinte ou telespectadores mesmo os que não são contra, vai sendo minado em sua forma de pensar. É penas para isso. A CPI também foi montada com este mesmo objetivo. Quando constatação de que não hove nada de errado, quem alardeou a manchete não vai dar a notícia e mesmo que dê, o estrago está feito. Isto é como soltar penas do travesseiro. Nunca mais encontra todas.

  5. Ridiculo o irmão do tal Miranda já foi desmoralizado na CPI pelo senador Marcos Rogério na questão dos invoices, foram 3, onde 2 vieram errados,mas foram corrigidos e eles se baseiam no primeiro kkkk questionado sobre isto o cara emudeceu imbecis, foram atras de narrativas,

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site