PGR pede condenação de Daniel Silveira por ataques ao STF: ‘Liberdade de expressão é restringível’

Posicionamento é do vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros
-Publicidade-
Deputado Daniel Silveira | Foto: Vinicius Loures/Agência Câmara
Deputado Daniel Silveira | Foto: Vinicius Loures/Agência Câmara

A Procuradoria-Geral da República (PGR) defendeu a condenação do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) pela divulgação de vídeos com ataques a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O posicionamento foi divulgado nesta quinta-feira, 7, mas é datado de terça-feira 5.

A PGR pede que o deputado seja condenado por “tentar impedir, com emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer dos Poderes da União ou dos Estados”, coação no curso do processo e incitar à prática de qualquer dos crimes previstos na Lei de Segurança Nacional, que já foi extinta, mas valia na época dos fatos.

Leia mais: “Proposta quer aumentar poder do Congresso sobre o Ministério Público”

-Publicidade-

Nas alegações finais, o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, escreveu: “O direito à liberdade de expressão é restringível, como tantos outros, e só pode ser reconhecido como ‘absoluto’ em sentido fraco ou presuntivo, isto é, quando considerações conflitantes mais urgentes não estiverem presentes”.

Segundo a PGR, Silveira chegou a argumentar, em algumas passagens de seu interrogatório, que “as virulentas declarações que o levaram a figurar como réu” estariam protegidas pela imunidade parlamentar, prevista na Constituição. Medeiros disse que tais declarações não estão protegidas pela imunidade.

Histórico

Em 16 de fevereiro, Silveira foi preso em flagrante por crime inafiançável após divulgar em rede social vídeo no qual defende o AI-5 e a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Após parecer favorável da própria PGR, a prisão foi substituída por domiciliar com monitoramento por tornozeleira eletrônica, mas ele voltou à cadeia em 24 de junho por desrespeitar o uso do equipamento por cerca de 30 vezes.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. esse pessoal idiota útil da PGR estão com sangue nos olhos! uns filhos de satanás! malditos sejam! e o reto e justo Juiz dará justa sentença e rapidamente se cumprira, assim rogamos!

  2. É um absurdo, em minha opinião uma vergonha, que alguém defenda, em nome não sei de quem, que o art. 53 da nossa Constituição, que claramente diz que os deputados e senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos, seja rasgado e jogado na lata do lixo. Vergonha maior mesmo, foi a direção da Câmara dos Deputados aceitar tal violência contra um dos seus membros, por medo de desagradar os deuses do STF.

  3. É mesmo? É restringível? E é esse sujeito que dirá o quão restringível foi o comentário do vídeo? Cadê o processo legal? Um ministro cria um lixo jurídico qualquer, enfia o deputado nele, o acusa, julga, condena, prende, tudo SOZINHO, o aí tudo bem, é normal. Cara, isso é um caminho sem volta!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.