PGR vê ‘vantagem indevida’ para Renan Calheiros em MP dos Portos

Relator da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19 teria recebido R$ 700 mil em pagamentos irregulares
-Publicidade-
Suposto esquema teria contado com a participação de empresários
Suposto esquema teria contado com a participação de empresários | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Brasil

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) “recebeu vantagem indevida” para beneficiar empresários na tramitação da Medida Provisória (MP) dos Portos. É o que informou a subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, ao Supremo Tribunal Federal (STF). Ela argumentou ainda ter “arcabouço probatório” reunido em uma investigação decorrente da Operação Postalis.

Conforme Lindôra, o responsável pelo “esquema criminoso” foi o contador Milton Lyra, apontado como operador do MDB. A avaliação sobre os indícios contra Renan faz parte de um pedido enviado à Corte, com a finalidade de que a investigação seja prorrogada por mais dois meses. Lindôra pretende colher os depoimentos do senador, de Lyra e de outros investigados.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) também deve fazer uma devassa nas contas das companhias usadas pelo contador para suposta lavagem de dinheiro de propinas. Lindôra ressaltou ser necessário dar andamento às apurações diante de “circunstâncias ainda não completamente esclarecidas”, noticiou o jornal O Estado de S. Paulo, em reportagem publicada na quarta-feira 6.

-Publicidade-

O caso

De acordo com a PGR, há indícios de que Renan teria atuado para beneficiar o empresário Richard Klien, então CEO da Multiterminais, em 2014, durante a tramitação da MP dos Portos. A firma de Klien teria efetuado pagamentos de R$ 700 mil a empresas de Lyra que seriam de fachada para a lavagem de dinheiro. Suspeita-se que esse montante seria destinado a Renan. Outro empresário do setor, Alexandre Santoro, também faria parte do esquema.

Lyra, também citado como lobista, discutia possíveis alterações na MP dos Portos e projetos de interesse do setor com os empresários por e-mail. Há registros de deslocamentos do contador em voos de helicóptero bancados por Klien. Na quebra de sigilo telefônico, também foram identificadas dezenas de ligações entre ele e os empresários. Uma delas foi feita de dentro do Senado.

Com a palavra, Alexandre Santoro

“A defesa de Alexandre Santoro esclarece que a hipótese apresentada no inquérito não procede, tendo plena convicção de sua inocência. Alexandre Santoro nunca participou de qualquer tratativa a respeito de proposituras legislativas ao longo de sua trajetória profissional.”

Leia também: “O Atleta é mais veloz que a Justiça”, artigo de Augusto Nunes publicado na Edição 57 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. É mais um, dentre vários processos contra esse corrupto profissional, que o STF deixará na gaveta mofando.
    Qual o medo que a corte tem do meliante Renan? Conta pra nós, ministros.

  2. Depois que soltaram o Luladrão que tipo de notícia mais causa impacto?]
    País da vergonha, de gente que usa terno prá encher os bolsos de bosta.
    Fedem!!!

  3. Mais um , na lista de dezenas de crimes cometidos por este bandido acobertado pelo STF, numa grande orgia do : “Me protege que eu te livro ” !!!!
    Quem vai acabar com isto ??

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.