Presidente do PSB abre caminho para apoio a Lula em 2022

'Se for Lula, será Lula', afirmou Carlos Siqueira sobre polarização com Jair Bolsonaro no ano que vem
-Publicidade-
PSB pode apoiar o PT nas eleições presidenciais de 2022, com Lula candidato
PSB pode apoiar o PT nas eleições presidenciais de 2022, com Lula candidato | Foto: Reprodução

Em mais um passo na direção de uma convergência entre as forças de esquerda em torno da provável candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto em 2022, o comandante do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Carlos Siqueira, indicou que a legenda pode mesmo apoiar o petista contra Jair Bolsonaro no pleito do ano que vem.

Recentemente, o PSB filiou duas lideranças de esquerda próximas a Lula: o deputado federal Marcelo Freixo (RJ), que estava no Psol, e o governador do Maranhão, Flávio Dino, que deixou o PCdoB. O primeiro deve ser candidato ao governo do Rio em 2022, enquanto Dino pode se lançar ao Senado em seu Estado.

Leia mais: “Flávio Dino anuncia saída do PCdoB”

-Publicidade-

“O único caminho possível que o PSB integrará será aquele da melhor liderança que conseguir ampliar uma frente política que derrote Bolsonaro. Se for Lula, será Lula. Se for Ciro [Gomes], será Ciro. Se for outra pessoa, será outra pessoa. O nosso compromisso, antes de ser com pessoas, com personalidades, com partidos, é com a democracia brasileira. O que tiver melhores condições de derrotar Bolsonaro terá o nosso apoio”, afirmou Siqueira em entrevista ao jornal O Globo.

Leia também: “Freixo anuncia saída do Psol e deve disputar governo do Rio pelo PSB”

Indagado sobre a proximidade entre Freixo, Dino e Lula, o presidente do PSB admitiu que ambos “nunca esconderam a simpatia pela candidatura” do petista. “O PT é um partido com o qual nós nos coligamos em várias eleições, todas com o Lula. Mas o PSB não decidirá agora sobre a questão da sucessão presidencial”, despistou.

Siqueira disse ainda que as críticas que fez a Lula em passado recente não seriam empecilho para um eventual apoio do partido. “Eu critiquei fortemente a declaração dele, após sair da prisão, porque achei uma declaração estreita. Em um momento tão difícil que o país estava vivendo, uma liderança do porte dele, irresponsavelmente, não poderia ter feito aquelas declarações. Felizmente, ele reviu essa posição e passou a adotar o mesmo discurso que nós fazemos, de frente. Elogiei quando ele fez o discurso correto, que reorientou o PT”, afirmou.

J. R. Guzzo: “A candidatura de Lula é um desastre”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. “Bota qualquer um lá: o importante é retomar o poder. Até o Lula, se for preciso”. E pensar que estivemos nas mãos de políticos como esses! Bolsonaro é uma benção para o Brasil.

  2. A esquerdalha é tudo a mesma coisa. O macete é criar partidos pra abocanhar o fundo partidário. Todos tem a mesma ideologia e defendem a mesma porcaria.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site