PSB quer que STF mande RJ fazer novo plano contra letalidade policial

Petição foi apresentada no âmbito de uma ação na qual a Corte restringiu as operações policiais em favelas do Rio
-Publicidade-
Estátua da Justiça | Foto: Reprodução/STF
Estátua da Justiça | Foto: Reprodução/STF

Depois da operação policial que deixou 25 mortos na cidade do Rio de Janeiro, o PSB e outras entidades pediram que o Supremo Tribunal Federal (STF) mande o governo estadual elaborar, em até 60 dias, um novo plano de redução da letalidade policial.

A petição foi apresentada no âmbito de uma ação na qual a Corte decidiu, em 2020, restringir as operações policiais em favelas do Rio de Janeiro para casos excepcionais, enquanto durar a pandemia. Entre outras entidades, assina o documento a Defensoria Pública do Estado.

-Publicidade-

Em fevereiro, a Corte aprovou uma série de medidas a serem adotadas pelas autoridades fluminenses para diminuir esse tipo de letalidade. Entre eles estão: prioridade a investigações de casos que envolvam crianças e adolescentes, limitações às buscas sem autorização judicial e a instalação de GPS e câmeras corporais nos policiais em180 dias.

Em abril, os autores já haviam anexado petição similar, argumentando que as propostas do Estado eram genéricas e não contavam com cronograma ou previsão de recursos financeiros para a sua implementação.

“Não bastasse o evidente desrespeito à cautelar referendada pelo Plenário desta Corte, a Polícia Militar do Rio de Janeiro ainda se valeu da oportunidade para responsabilizar a decisão do STF pela suposta ‘migração de criminosos ao Estado’, em busca de ‘esconderijo'”, disse a petição.

Como mostrou Oeste, o coronel da PM do Rio Luiz Henrique Marinho Pires disse que a decisão do Supremo de restringir as operações policiais em favelas do Rio possibilitou a migração de criminosos ao Estado.

“Isso vem acentuando nos últimos meses. Esse esconderijo deles nas nossas comunidades é fruto basicamente dessa decisão do STF. É o que a gente entende, a gente está estudando isso, mas provavelmente deve ser fruto dessa decisão do STF”, disse o coronel.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Sério isso???? Essa gente realmente não tem o que fazer? PT ,PSB, PDT, PSOL, REDE…. São partidos que estão sempre trabalhando contra aqueles que lhe pagam o salário. Enterrem logo esses partidos gente!!!!

    1. “Mauri Edson Vulcão Costa, o Déo, foi morto na operação policial em Vila Cruzeiro, na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. O criminoso é acusado de ser responsável por 20 ataques policiais nos últimos 30 dias, sendo que 16 deles resultaram na morte dos agentes”.
      Este é o tópico inicial desta revista, tomei o cuidado de colar e mandar para mostrar para essa esquerdalha que a moeda tem 2 lados, ou seja a verdade é que estão matando nossos policiais e não aparece nenhum fdp de ONG, ou de Direitor Humanos para se manifestarem a favor dos policiais mortos. Isso tem que acabar, pois, quando esses bandidos atacam essa corja que os defende, os primeiros a serem chamados são os policiais, esses mesmos que eles atacam. Bala neles.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.