Psol acena para Lula após abrir mão de candidato à Presidência

Trata-se da primeira vez que a legenda não apresenta alternativa ao Poder Executivo
-Publicidade-
Sigla aprovou resolução pelo impedimento de Bolsonaro
Sigla aprovou resolução pelo impedimento de Bolsonaro | Foto: Reprodução/Mídias sociais

O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) não terá candidato à Presidência da República em 2022. A decisão ocorreu no domingo 26, em congresso interno da sigla. A pauta prioritária votada pela maioria dos 402 delegados da conferência foi a “luta pelo impeachment” do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, os dirigentes reelegeram Juliano Medeiros para comandar a legenda. Em 2019, Medeiros dividiu carro de som com Lula para celebrar a soltura do petista.

“A prioridade, em nível nacional, deve ser a construção da unidade entre os setores populares para assegurar a derrota da extrema direita”, informa trecho da resolução aprovada, em sinalização de apoio ao ex-presidente. “Esse processo de diálogo deve envolver elementos programáticos, arco de alianças e não pode ser uma via de mão única”, acrescentou o texto. O Psol deve estar nas manifestações programaras pela esquerda para 2 de outubro. A reivindicação principal será o impeachment de Bolsonaro.

Leia também: “Dilma merece ser vice de Lula”, artigo de Augusto Nunes publicado na Edição 79 da Revista Oeste

-Publicidade-
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.