Queiroga é denunciado por médicos e rebate: ‘Não temos nada a temer’

'Preocupação com essa representação é zero', afirmou o ministro da Saúde
-Publicidade-
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em conversa com a imprensa |  Foto: Myke Sena/MS
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em conversa com a imprensa | Foto: Myke Sena/MS

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta sexta-feira, 7, que a sua preocupação com a representação feita contra ele no Conselho Federal de Medicina (CFM) é “zero”.

Ontem, um grupo de médicos pediu a abertura de um processo ético-profissional contra o ministro por “infrações éticas graves no exercício da medicina” no cargo que atualmente ocupa.

-Publicidade-

“Ontem, um grupo de secretários me denunciou. Ótimo! Podem denunciar, não temos nada a temer”, disse Queiroga em conversa com jornalistas.

O ministro continuou: “A preocupação com essa representação é zero. Se esses colegas quisessem ajudar, eles deviam estar trabalhando na ponta, fazendo como eu, estou trabalhando aqui pelo povo brasileiro diuturnamente”.

“Aí eu pergunto, vocês que estão me denunciando, quantas doses de vacina vocês distribuíram? Nenhuma. Se vocês tomaram vacina foi com as vacinas que eu distribuí”, afirmou.

Na fala à imprensa, Queiroga lamentou o que chamou de “pandemia de narrativas que não se sustentam” e reclamou de não haver uma melhor divulgação do trabalho da pasta.

Segundo ele, um estudo da Universidade de Oxford revelou que o trabalho que vem sendo conduzido por ele em relação às vacinas contra a covid-19 é acertado e traz bons resultados na imunização.

“Vamos dizer a verdade à população brasileira e deixar de fazer narrativa sem fundamentação, porque elas não se sustentam e o povo não acredita nelas”, finalizou o ministro.

O pedido de abertura do processo contra Queiroga é assinado por membros do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems-SP).

Para os médicos ex-presidentes do Cosems-SP, o ministro Queiroga coloca interesses ideológicos do governo Jair Bolsonaro (PL) acima da saúde pública.

Na ação, eles dizem: “Não resta outra alternativa senão a constatação de que ele [Queiroga] atende, acima de tudo, aos interesses políticos e ideológicos do governo, e mais especialmente do presidente da República”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

22 comentários Ver comentários

  1. Gilmar
    Lambe botas dos piores ditadores do mundo e ao ver isso no espelho acha que está vendo os outros e não tem nem noção de que é ele mesmo que está fazendo isso! Seu Vigaristinha a soldo dos esquerdas!

  2. Quem não quiser vacinar eus filhos que não vacine, só assine um termo de responsabilidade de responder criminalmente por homicídio doloso, ( com intenção de matar), triplamente qualificado ( infanticídio e impossibilidade de defesa da vítima e motivo futil). Aí tá tudo bem

    1. Gilmar, por que é que você, antes de vir aqui defecar pelos dedos, não vai procurar se informar? Entre no site do VAERS e verifique os números. Você certamente não tem filhos, ou netos pequenos, né?
      https://openvaers.com/covid-data

    2. Gilmar, esse é o termo que todos os que querem se vacinar tem que assinar, isentando os laboratórios de responder criminalmente por homicídio doloso e infanticídio, caso tenham qualquer reação grave. Você certamente não parou pra pensar nisso porque o mata-burro na sinapse que se instalou entre seus dois neurônios não vai permitir.

      1. Não vacina Alberto, e assuma o risco, se seu filho nao pegar covid19 vc tá de Boa, mas se morrer de covid eu quero que vc apodreça na cadeia.

    3. Gilmar
      Seu cu de galinha! Quem está obrigando a vacina vai se responsabilizar pelas mortes, dos efeitos laterais ? vai responder por crime doloso? Seu pulha maligno e doente mental!

  3. Um absurdo o ministério da saúde esta preocupado com os efeitos adversos, que o fabricante alias lava as mãos não se responsabiliza por nada, e não tem como voltar atras depois que vacinar todas as crianças, as vacinas são experimentais sim,vi um video do medico que criou o Rna mensageiro e ele não apoia a vacinação nas crianças pois estão em formação, mas é uma esteria jamais vista e a maioria que grita ai não tem nem filhos nesta idade.

  4. Tem bandido em todo lugar. Vejam, dizem que o Queiroga age por ideologia política! Que absurdo, uma vez que eles são todos vendidos ao esquema ordinário que prejudica o bom andamento dos trabalhos de gente seria, como o ministro Queiroga, que trabalha por amor ao país e seu povo, não pelo dinheiro, porque ele ganhou o dele honestamente e não precisa se vender para nenhum sistema.

    1. Pode até ser que o Queiroga conduz a pasta na linha ideológica do presidente e isso é normal em qualquer governo no mundo, mas e o interesse ideológico na tal vacina experimental tbm não seria um problema?

      Bando de fdp!

      1. Todos os aliados de Hitler foram julgados e muitos condenados a morte exatamente por isso. Seguir cegamente o líder, mesmo sabendo que milhões estavam morrendo. Espero que depois, em Haia, não venha com aquele papinho, ahh estava só cumprindo ordens

      2. O que é ideologia? Esta possui diferentes significados. Mas no senso comum é tido como algo ideal….o que é a Ideologia do Presidente senao um país livre, prospero, honesto, valorizado externamente, conservador no sentido amplo da palavra, apoiador e incentivador do trabalho, voltado à valorizacao da familia..Que outra ideologia ha de tao nefasta, que a esquerda tenta destruir? Nenhuma ! A esquerda, representada pelo diabolico petismo, odeia o que é certo!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.