‘Querem no tapetão decidir as coisas no Brasil’, afirma Bolsonaro

Presidente deu a declaração ao defender o voto impresso auditável
-Publicidade-
Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado, 7, que “querem no tapetão decidir as coisas no Brasil”. Ele deu a declaração ao defender o voto impresso auditável em uma transmissão ao vivo em suas redes sociais durante uma motociata em Florianópolis.

Bolsonaro defende a implementação do comprovante de voto para as eleições de 2022, mas a proposta foi derrotada na comissão especial por 23 a 11. Ontem, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), anunciou que decidiu levar a discussão para o plenário, que terá a palavra final.

Leia mais: “Bolsonaro sanciona projeto que possibilita transformar clubes de futebol em empresa”

-Publicidade-

“Agradeço ao povo brasileiro que reconhece o momento que o Brasil atravessa, reconhece o que está em risco na política. Querem no tapetão decidir as coisas no Brasil, isso não pode ser dessa maneira. A democracia nasce do voto responsável e contabilizado”, declarou o mandatário.

“Nós, todos os políticos, deputados, senadores, presidente e autoridades que foram indicadas também têm um dever de ouvir a nossa população, realmente ter lealdade para com seu povo. Isso que nós queremos, um Brasil democrático e justo para todos“, afirmou.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários

  1. P verdadeira democracia existir no Brasil, precisa antes, ocorrer uma limpeza geral nas instituições, prender políticos, juízes, membros dos MP que tenham envolvimento com corrupção e conchavos com a esquerdalha.
    E isso não ocorrerá democraticamente, só um regime duro, firme, forte, limpo e isento poderá fazer isso por nós, precisamos da volta do regime militar, reviver 1964.

  2. Como não se pode decidir essas coisas pelo congresso, sugiro que se faça uma consulta popular, um plebiscito para decidir sobre essa questão das urnas. Não há outra alternativa, pois terá resistência muito grande na câmara e no senado com a maioria desses deputados e senadores beneficiados por essas urnas viciadas. Sei que já houve um caso semelhante no passado no tocante ao porte de armas e que a vontade popular não foi respeitada, mas se tratava de governo do PT, mas agora não existe isso daí. Fica a ideia.

  3. Já é preciso ter um Plano B caso o voto impresso não seja aprovado pelo Congresso Nacional: vide PROPOSTA ALTERNATIVA AO VOTO IMPRESSO SEM NECESSIDADE DE APROVAÇÃO DE PEC E SEM A SUA IMPRESSÃO. Garante 95% de confiabilidade ao resultado das eleições e com custos mínimos… https://youtu.be/ebVV0EldkOY

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro