-Publicidade-

Senadora entra para a lista de tucanos insatisfeitos com Doria

Mara Gabrilli cogita até deixar os quadros de filiados do PSDB
Mara Gabrilli, senadora pelo PDB de São Paulo, critica publicamente João Doria
Mara Gabrilli, senadora pelo PDB de São Paulo, critica publicamente João Doria | Foto: Arquivo/Agência Câmara

Uma das promotoras da campanha de João Doria ao governo do Estado de São Paulo em 2018 chega a 2021 como crítica do político. Senadora pelo PSDB paulista, Mara Gabrilli tornou pública a sua insatisfação com as recentes posturas adotadas pelo hoje ocupante do Palácio dos Bandeirantes. Com tal situação, a parlamentar abre até a possibilidade de trocar de partido.

Leia mais: “Nem prefeitos do PSDB respeitam determinação de Doria”

Entre as reclamações feitas por Mara está a decisão do governo estadual em tirar a isenção do IPVA para carros de pessoas com deficiência física. Hoje com 53 anos, a parlamentar ficou paraplégica em 1996, quando tinha 26 anos, ao sofrer acidente automobilístico. Nesse ponto, ela dá a entender que tentou fazer com que Doria e equipe mudassem a conduta em relação ao fim da isenção.

“Se não é desconhecimento, desculpe, só pode ser crueldade”

“Cheguei até a fazer um PowerPoint explicativo”, afirmou a senadora tucana em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. De acordo com ela, a apresentação não teve efeito prático. “Se não é desconhecimento, desculpe, só pode ser crueldade”, continuou. Além disso, ela lamentou a decisão de Doria em cortar verba da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Fora do PSDB?

Publicamente insatisfeita com João Doria, Mara Gabrilli demonstra que sair do PSDB pode ser um caminho a ser seguido logo em mais em sua trajetória na política partidária. “Confesso que venho pensando nisso”, disse. “Tenho um bom trânsito com diversos partidos, venho mantendo conversas”, afirmou. Ela, entretanto, não citou os nomes das legendas com as quais abriu conversa.

Mas por ora inserida no ninho tucano, a senadora aproveitou a entrevista para colocar outros nomes do PSDB com força para disputar a presidência da República no lugar de Doria em 2022. Segundo destacou, o senador cearense Tasso Jereissati e o governador gaúcho, Eduardo Leite, têm chances de contar com a indicação do partido. Fora do tucanato, ainda citou o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e o apresentador de TV Luciano Huck (sem partido).

Leia também: “As cicatrizes da covid-19”, relato de Mara Gabrilli ao editor-executivo Silvio Navarro publicado no site da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês