STF mantém lei que proíbe reajuste para servidores até dezembro

Congelamento de salários era questionado em três ações abertas por PT, PDT e Podemos
-Publicidade-
Ministro Luiz Fux, presidente do STF
Ministro Luiz Fux, presidente do STF | Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal julgou constitucional a Lei de Socorro aos Estados, incluindo o trecho que proíbe o reajuste do salário de servidores federais, estaduais e municipais até 31 de dezembro de 2021. O tema foi julgado no plenário virtual.

O congelamento de salários era questionado em três ações abertas por PT, PDT e Podemos, todas relatadas pelo ministro Alexandre de Moraes. A medida foi prevista na lei como forma de compensar os gastos públicos extras com a pandemia.

-Publicidade-

Leia mais: “Suspeição de Moro não anularia Lava Jato, diz Mendes: ‘Só no caso Lula’”

Os partidos argumentavam que a lei viola alguns princípios constitucionais, como a irredutibilidade salarial. Moraes, contudo, entendeu que nenhum dos argumentos se sustenta.

O ministro destacou que o objetivo da lei foi evitar a irresponsabilidade fiscal, impedindo Estados e municípios de tomar medidas populistas, com o uso de recursos da União contra a covid-19 para “fazer cortesia com chapéu alheio”.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.