-Publicidade-

TCU dá parecer favorável à venda de refinarias pela Petrobras

Possibilidade de se vender refinarias está sendo questionada no Supremo Tribunal Federal, após manifestação do senador petista Jean-Paul Prates
Sede do Tribunal de Contas da União | Foto: Evelynne Gubert/TCU
Sede do Tribunal de Contas da União | Foto: Evelynne Gubert/TCU

Possibilidade de se vender refinarias está sendo questionada no Supremo Tribunal Federal, após manifestação do senador petista Jean-Paul Prates

TCU
Sede do Tribunal de Contas da União, em Brasília | Foto: Evelynne Gubert/TCU

O Tribunal de Contas da União deu nesta quinta-feira, 30, parecer favorável à venda de refinarias pela Petrobras. A matéria foi encaminhada ao colegiado do órgão e poderá ser considerada pelo STF para respaldar sua decisão.

Segundo o relator, ministro Alencar Rodrigues, pelos dados colocados não se permite “qualquer sugestão de que a empresa esteja se valendo da criação de subsidiárias para desmembrar seu ativo e promover sua privatização ao arrepio da lei”.

A possibilidade de se vender refinarias está sendo questionada pelo Congresso Nacional no Supremo Tribunal Federal, após manifestação do senador Jean-Paul Prates (PT-RN).

O questionamento do Congresso se refere apenas a duas das oito refinarias que serão alienadas pela estatal, Rlam, na Bahia, e Repar, no Paraná, cujas negociações estão mais avançadas.

A Rlam já recebeu propostas satisfatórias e a Repar estaria para receber este mês, segundo informou no início de julho o presidente da Petrobras, Roberto Castelo Branco.

O TCU disse ainda que “sob a ótica econômico-financeira e no contexto da necessidade de alienar parte do parque de refino em atenção ao TCC celebrado com o Cade, também não foram identificadas irregularidades nos procedimentos adotados pela Petrobras”, afirmou o relator, sinalizando para a continuidade do processo.

Com informações do Estadão Conteúdo.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.