Temer diz que Bolsonaro deveria propor um pacto para combater covid-19

'Acho que ficaria muito bem para ele', aconselhou o ex-presidente da República
-Publicidade-
'Não quero ser um ex-presidente que, a todo momento, está querendo meter a sua colher no governo', diz Temer
'Não quero ser um ex-presidente que, a todo momento, está querendo meter a sua colher no governo', diz Temer | Foto: Foto: Alan Santos/PR

O ex-presidente Michel Temer (MDB-SP) afirmou que o governo de Jair Bolsonaro deveria liderar um pacto entre diversas instâncias e instituições do país em torno do combate à pandemia de covid-19. Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, o emedebista afirmou ainda que não foi procurado pelo atual presidente — mas deixou claro que, se isso ocorrer, a sugestão será feita.

Leia também: “Justiça do DF absolve Temer e coronel Lima em inquérito dos portos”

-Publicidade-

“Vou dar aqui um palpite”, disse Temer. “Poderia chamar uma entrevista coletiva e dizer: ‘olha aqui, vocês sabem que, ao longo do tempo, eu sempre combati esse isolamento social preocupado com a economia. Nós temos de conjugar a economia com a saúde. Com a vida do cidadão. E, evidentemente, como aumentou muito a pandemia, agora com essa P1, que é uma nova variante do vírus, eu vou ampliar o que já estou fazendo. Ou seja, vou comprar muitas vacinas. O governo está empenhado em comprar milhões e milhões de doses. Vou propor, realmente, concordar com a hipótese de eventual isolamento social. Vou também chamar novamente os governadores e o Congresso Nacional. Vamos todos trabalhar juntos e vamos patrocinar a vacinação. Na verdade, o mantra que agora vale é unidos e vacinados'”.

“Acho que ficaria muito bem para ele, presidente da República. Ficaria bem para os governadores. Ficaria bem para o Congresso. E ficaria bem para a saúde do país. Eu acho que isso seria extremamente útil. Não dá para ignorar a pandemia, que está em ritmo e velocidade assustadores.”

Na entrevista, Temer ponderou, entretanto, que não quer ser “inoportuno”. “Não quero ser um ex-presidente que, a todo momento, está querendo meter a sua colher no governo”, afirmou. “Não quero fazer isso. Se um dia for consultado, direi o que estou dizendo agora publicamente. E, com toda a franqueza, acho que é em benefício da governabilidade e do país”.

Leia mais: “Michel Temer vai trabalhar para a Huawei”

Indagado sobre a posição do MDB para as eleições presidenciais de 2022, Temer desconversou. “Não se deve discutir isso agora. Com muita franqueza, se pudesse dar uma sugestão, diria ‘vamos deixar essa conversa para depois’. Não pode antecipar esse calendário. Estamos em março de 2021. Falta um ano e meio para lançamento de candidaturas. E você sabe que em política as coisas às vezes mudam de uma semana para a outra”, disse. “Então, como é que o MDB, que sempre foi um partido muito ponderado, muito equilibrado, dentro daquilo que costuma se chamar de centro, vai entrar, agora, numa discussão para saber quem é o candidato? Se vai ter candidato, se não vai ter candidato. Quem deverá apoiar. Isso tudo vai se definir lá para frente.”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 comentários

  1. Mas o governo central propôs, mas por unanimidade continuam fudendo o País, e se posicionam como árbitros, ou agentes do caos, senão médicos ou cientistas!!!
    Fariam bem em bloquear a esquerdopatia que pensa só em poder, agindo o STF liberando a profilaxia com IVERMECTINA.
    GENTE, aproveita a opinião do TEMER, ele tbm pensa em redimissão.
    O Instituto Lula precisa entrar em ação.

  2. Êta papo furado…foi só se livrar da acusação de corrupção que começou a deitar falação. Você já queimou todos os seus cartuchos, velho broxa.

  3. Bolsonaro tem que mostrar os dentes urgentemente, pois estão criando uma atmosfera golpista de que ele não faz nada pra justificar um afastamento e até prisão dele. O STF está de vento em popa pra derrubar o Presidente do Brasil e Bolsonaro não pode deixar que façam isso com ele e com o Brasil. A pretexto de “Salvar Vidas”, vão meter a mão no cofre e mandar as FFAA sentar o sarrafo no povo

  4. Nunca fui eleitor de Temer portanto não estou aqui o isentando de possíveis desvios na sua vida politica, mas entendo que foram muito bons para o pais os 2 anos de exercício da presidência em substituição a inútil Dilma.
    Em seu governo o quarteto Janot/Joesley/Fachin e Globo, inventou uma forjada e fajuta denuncia “premiadíssima” do maior criminoso financeiro do país (JBS) que foi desmoralizada pelo próprio Janot que irritado ou arrependido pediu sua anulação. Nesse período ficou clara a perseguição a Temer e ao PMDB por ter abandonado Dilma, de Fachin com essa precipitada homologação e Barroso com a insistente prorrogação(4) das investigações pela PF do inquérito dos portos sob a sua relatoria no STF. Não conseguiram derrubar Temer mas impediram a reforma da previdência que poderia ser aprovada em Maio/17.
    Fez uma excelente transição do governo com Bolsonaro, que até hoje o reconhece, e espero que continue nesse discreto apoio que não observamos em nenhum dos ex presidentes ao governo Bolsonaro, ao contrário tentam derruba-lo, inclusive a múmia ressuscitada FHC que esqueceu seus escritos nos “diários da presidência”. Pensar que fui tucano desde a fundação do partido e admirei esses decadentes tucanos.

  5. Acho muito difícil entender como Michel Temer pôde ter indicado Alexandre de Moraes!!! Michel Temer é professor de Direito Constitucional, seus artigos são juridicamente muito bem embasados, claros e objetivos e ele fez um governo bom e equilibrado, apesar dos esquerdiotas de plantão!!! Como não conseguiu enxergar quem é Alexandre de Moraes!!!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.