-Publicidade-

Tratamento precoce virou palavrão no Brasil, critica senador

Eduardo Girão pontou ser contra o uso de medicamentos sem recomendação médica
Senador Eduardo Girão
Senador Eduardo Girão | Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) lamentou que o Brasil não esteja avançando na discussão sobre medicamentos que auxiliem no enfrentamento à covid-19. Segundo ele, tratamento precoce virou um palavrão no país.

Girão pontuou ser contra o uso de medicamentos sem recomendação médica, mas defendeu a autonomia destes profissionais para indicar alternativas de tratamento fora do que prescrevem as bulas dos remédios.

Leia mais: “O que falta para o Brasil acelerar a vacinação?”

“Eu sou favorável ao uso de máscaras, sou favorável à vacina, sou favorável a isolamento social, mas por que não também o tratamento precoce?”, questionou o senador na quarta-feira 4.

Eduardo Girão deu um testemunho pessoal e disse que seu pai, de 77 anos, teve covid-19, sob orientação médica tomou ivermectina, e foi praticamente assintomático.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

    1. Um dos melhores em quem já votei. Suas atitudes me fazem setir como se eu estivesse no Senado. Agradeço por sua coerência, pelo respeito para com o pensamento e as crenças dos seus eleitores.

  1. Tratamento precoce pode ser realizado com o uso de remédios baratos, que a população carente tem como adquirir. Todavia, isso não interessa para aqueles que somente enxergam lucros!!!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.