Trump fará ‘tour’ nos EUA para discursar sobre fraude eleitoral

Presidente também vai atuar no 'front' legal de modo a garantir a recontagem de votos em Estados-chave
-Publicidade-
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump | Foto: Tia Dufour/Casa Branca
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump | Foto: Tia Dufour/Casa Branca

Presidente também vai atuar no ‘front’ legal de modo a garantir a recontagem de votos em Estados-chave

Trump
Resultado oficial do presidente eleito sai em 14 de dezembro
Foto: Tia Dufour/Casa Branca

O presidente Donald Trump planeja percorrer os Estados Unidos com o objetivo de provar à população norte-americana que houve fraude no pleito eleitoral. Conforme o republicano, mortos “votaram” em Estados-chave e cédulas irregulares foram validadas em benefício do candidato Joe Biden. Em outro front, Trump designou aliados para conseguir a recontagem no Arizona, na Pensilvânia e em Wisconsin. Oeste noticiou que a Geórgia vai atender à solicitação de Trump. Caso os tribunais estaduais neguem o pedido, a defesa do presidente vai recorrer à Suprema Corte. A grande mídia dos EUA considera que o democrata venceu a disputa pela Casa Branca. Contudo, o resultado oficial será divulgado em 14 de dezembro, quando os delegados do Colégio Eleitoral se reúnem para oficializar quem, de fato, ganhou a batalha.

-Publicidade-

Leia também: “Avanço para o passado”, artigo de J. R. Guzzo publicado na edição n° 33 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. Engraçado, vocês mesmos estão dizendo que o resultado oficial só sai em 14 de dezembro e fizeram matéria atribuindo vitória ao Biden. Cadê o compromisso com a verdade? Vcs eram ou são uma alternativa à mídia desonesta?

  2. Fiquei impressionado com a baderna que é a eleição americana. Voto pelo correio é algo surreal (e se esses votos se perdessem pelo caminho assim como qualquer mercadoria em logística). Por o voto não ser obrigatório parece que lá não existe qualquer consideração com o eleitor (horas na fila, decisão subjetiva de um juiz se conta ou não os votos). E pior é que os eleitores do Bolsonaro queriam que as eleições brasileiras seguissem esse exemplo medonho americano. O sistema eleitoral brasileiro é um paraíso perto de outros sistemas de eleições pelo mundo.

    1. Sem dúvida o voto eletrônico é um avanço, mas sem a impressão do voto, a recontagem é impossível e sempre existe a possibilidade de fraude eletrônica…

  3. Trump tem direito de exigir que a Suprema Corte investigue a legitimidade dos resultados das eleições, , colocando tudo em pratos limpos, em respeito à inteligência do cidadão contribuinte! Perder uma eleição é uma coisa, ser roubado na cara dura é outra!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site