-Publicidade-

Twitter será investigado por censurar post do governo

Rede social ocultou publicação do Ministério da Saúde que orienta pacientes a adotarem o tratamento precoce
Procurador destaca a importância de o poder público informar a população
Procurador destaca a importância de o poder público informar a população | Foto: Divulgação/Canva

O Ministério Público Federal (MPF) vai apurar suposta prática de censura do Twitter ao Ministério da Saúde. Conforme noticiou Oeste, a rede social ocultou publicação da pasta que faz apologia ao tratamento precoce contra a covid-19. A mensagem recebeu um aviso de “informação enganosa”. Além disso, a empresa de mídia garante que suas regras foram violadas pelo órgão federal. Reportagens desta revista têm informado que os medicamentos hidroxicloroquina, ivermectina, entre outros, são eficazes no enfrentamento ao vírus chinês. De acordo com o MPF, o objetivo é averiguar “ações ou omissões ilícitas” da companhia norte-americana.

Para o procurador Ailton Benedito, responsável pela investigação, dados sobre políticas, programas, ações e serviços de saúde voltados à derrota do coronavírus têm de ser amplamente informados pelo poder público à sociedade, por todos os meios disponíveis, inclusive a internet. “Não cabendo às plataformas ou provedores de aplicações, por atos próprios, criar obstáculos de qualquer natureza ao fluxo de informações”, argumentou Benedito, na ação. Ao Twitter, o MPF estabeleceu o prazo de cinco dias para o encaminhamento detalhado dos fundamentos fáticos e jurídicos que levaram a rede social a classificar a postagem de “enganosa”.

Leia também: “Os senhores do mundo”, artigo de Ana Paula Henkel publicado na edição 43 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês