Por defender cloroquina, Nise Yamaguchi é afastada do Einstein

Em 11 jul 2020, 15:17

Por defender cloroquina, Nise Yamaguchi é afastada do Einstein

11 jul 2020, 15:17

Direção do hospital afirmou que as declarações da pesquisadora sobre o uso do medicamento “denigrem” a imagem da instituição

Nise Yamaguchi Einsten

Médica é uma das principais defensoras da cloroquina| Foto: Reprodução/Oncoguia

A médica Nise Yamaguchi foi suspensa pelo hospital Albert Einstein, onde trabalha. Ela é uma das principais defensoras do uso da hidroxicloroquina para o tratamento do coronavírus. A confirmação foi feita durante uma entrevista para o SBT Brasil.

De acordo com Nise, o afastamento ocorreu por causa das suas orientações e declarações sobre o uso do medicamento. Ela afirmou que a direção do hospital alegou que suas declarações “denigrem” a imagem da instituição. “Todo mundo relaciona a minha presença ao hospital”, disse. “No entanto, sempre tenho colocado que não falo pelo Einstein”.

Mesmo assim, a pesquisadora disse ter certeza de que a hidroxicloroquina é capaz de curar pacientes nos estágios iniciais da covid-19. Além disso, Nise afirmou que a maioria da comunidade médica defende o medicamento de forma silenciosa.

“A maioria dos médicos, até os que são contra, tomaram [cloroquina] quando ficaram doentes”, contou. Para ela, tudo não passa de um “mal-entendido”.

Oeste entrou em contato com a pesquisadora, mas Nise afirmou que não pretende se manifestar neste momento. A direção do Albert Eistein também foi procurada, mas ainda não comentou o episódio.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

22 Comentários

  1. Ridícula a atitude deste hospital. Uma médica empenhada em utilizar as soluções disponíveis para salvar vidas é motivo de orgulho, e não de denegrimento.

    Responder
    • Falar em efeito colateral e alguém que nunca viu um paciente horas após uma quimioterapia ou uma radioterapia ,que provoca queda total dos cabelos em horas.Negar tratamento precoce ,isso sim é um crime , visto que todo mundo que tomou sarou, como estamos vendo o caso do presidente.precisa mais?

      Responder
    • O analfabetismo funcional está tomando proporções jamais vistas antes!!! O politicamente correto está fazendo as pessoas se tornarem verdadeiros papagaios que repetem jargões. Na frase da doutora, para quem viu a entrevista TODA, ficou mais que claro que o medo nos faz ficarmos passivos, sem capacidade de reação e que diante de uma atrocidade nós nos curvamos e nos deixamos levar para o matadouro. Resumindo, o medo é o que faz você aceitar determinadas barbaridades!!!

      Responder
  2. Bolsonaro precisa nomear a Nise Yamagushi Ministra da Saúde, a hora é esta!! Ela pode conduzir as secretarias e orientar os médicos sobre o tratamento precoce em todo Brasil, com muito mais força. Pazuello voltaria a ser o número 2 da pasta.
    #NiseNaSaúde

    Responder
    • Deve ter comunistas amigos do Doria pro trás disso

      Responder
    • Se nós brasileiros não enfrentarmos os políticos, corremos o risco de sermos destruídos por eles.

      Responder
      • A situação atual no Brasil hoje é claríssima, quem apoia algo defendido por Bolsonaro é perseguido. Davi Uip e Roberto Kalil tomaram, o primeiro foi secretário de saúde de São Paulo o outro é muito respeitado.

        Responder
    • Obeserva-se que em tudo quanto é tema há perseguição em quem ousa ousar. Hoje um cidadão que teime em ir contra o sistema mainstrean fatalmente será considerado como um pária. E o sistema se aliou à esquerda por conveniência onde juntos planejam dominar o mundo, nem que seja pela mordaça.

      Responder
  3. A hidroxicloroquina cura no primeiro estágio da doença… FATO!

    Responder
    • Verdade , infelizmente a sensatez (Nise) foi calada pela ideologia de alguns…LEMETÁVEL!!!

      Responder
  4. O que esperar de uma instituição de pessoas com o nariz grande.

    Responder
  5. Eu não entendo!
    Não existe comprovação científica que usar mascara evita a COVID-19, há apenas uma suposição baseada em observação, no entanto sou OBRIGADO a usar!
    Baseado em observação verificou-se que a HCQ pode curar o COVID-19, mas não posso usar!
    Dois pesos duas medidas!

    Responder
    • Revista Oeste, procuro a leitura de vocês por achar uma linha editorial nova e diferente de outras, a direção do hospital já informou que o afastamento não foi por posição referente a cloroquina, sim sobre uma fala insólita sobre a comunidade judaica.
      Já se passaram horas e nada de retratação da matéria ou correção, esperava algo diferente de vocês.

      Responder
      • A fala não foi insólita não. Pareceu-me apenas uma justificativa esfarrapada… Meno, meno…

        Responder
  6. O Brasil está cheio de lacradores!

    Responder
  7. Lamentável essa perseguição do Einstein, talvez estejam preocupados em agradar as multinacionais farmacêuticas e nao aceitem remédios com patente quebrada.

    Responder
  8. Repete-se como um mantra que a HCQ não tem comprovação científica, desviando a discussão real, qual seja, de que o remédio prescrito no início do sintoma tem apresentado excelente resultado. O que se leva em conta é a observação clínica e alguns estudos. Não é de hoje que os médicos prescrevem tratamentos experimentais, quando os métodos “tradicionais”, comprovados cientificamente, não dão os resultados desejados. Inclusive, há inúmeras decisões judiciais determinando aos planos de saúde a cobertura do tratamento. E agora, como ficarão esses pacientes. Os Juízes passarão a dar decisões favoráveis para os planos ? Ou a exigência da “comprovação científica” só vale para casos de Covid-19 ?

    Responder
    • Têm também muitos processos judiciais tramitando nos tribunais do País com pedido de indenização pelo paciente ou familiar com base na teoria da perda de uma chance. Chance de cura, de menor sequela, de sobrevida. Imaginem se os familiares das vítimas do COVID resolverem acionar o Estado , hospitais municipais, estaduais, federais, e os hospitais particulares, como o Einstein, por exemplo.

      Responder
  9. Claro que é um decisão politica…Não faz o menor sentido isso que esse hospital fez. Como sempre, o PSDB manda até nos hospitais privados em SP.

    Responder
  10. A atitude da direção do Hospital Alber Einstein é uma vergonha. Hospital nenhum pode impedir um médico de tratar seus pacientes. O diretor é induzido ao erro ao pensar que o hospital privado funciona como um propriedade particular. Este cidadão não entende que hospital é uma concessão do estado, fiscalizado pela Secretaria de Saúde do estado, Anvisa e conselho de Medicina. Na verdade, o problema maior é que a Dra. Nise Yamaguchi está tratando com sucesso pacientes com Covide 19 na fase inicial impedindo que os mesmos fiquem nas enfermarias e sejam colocados em respiradores na UTI. Isto diminue os ganhos do hospital e a direção não parece estar preocupada com a cura dos pacientes. SMJ estão querendo é faturar.

    Responder
    • Exato. No fundo são royalties de remédios bem caros, diárias de UTIs, e, nas férias dos “dotores”, os famosos “incentivos científicos”, resorts, viagens pagas, eventos com muito tempo para “turistar”, o jabá das indústrias e distribuidoras farmacêuticas… Pode isso, conselhos de ética, crm, cfm, Hosp. Albert Einstein ??!!! Todos perdem a memória nesse momento…

      Responder
  11. Essa postura botocuda e política de determinados médicos e instituições reforçam cada vez mais um ambiente de total desconfiança. Foi-se o tempo em que o médico ditava e o paciente, refém, obedecia. Hoje, senhores, é a quatro mãos. Mas cientificistas não aceitam isto simplesmente. No SUS eles reinam absolutos. Isso tem de acabar. O q fizeram com a Dra. Nyse é covarde e ridículo. E mais: cínico e amoral. Eles não aprenderam nada.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias