Globo: por que a emissora abriu mão da Libertadores? - Revista Oeste

Edição da semana

Em 7 ago 2020, 16:58

Por que a Globo abriu mão de exibir jogos da Libertadores?

7 ago 2020, 16:58

Emissora rompe contrato pelos direitos de transmissão do torneio de futebol

globo - libertadores - direitos de transmissão

Galvão Bueno não vai mais narrar jogos da Libertadores pela Globo | Foto: REPRODUÇÃO

A Globo informou nesta semana que rompeu o contrato que tinha com a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para transmissão da Taça Libertadores da América na televisão aberta do Brasil. Mas o que motivou essa decisão? De acordo com a própria emissora, a covid-19 é a “culpada” pelo rompimento, pois afetou a economia mundial e fez com que o real se desvalorizasse frente ao dólar, aumentando o valor a ser pago (já que o acordo era válido pela moeda norte-americana).

Confira a nota da emissora:

Diante do cenário extremamente desafiador provocado pela crise econômica e potencializado pela pandemia de covid-19, a Globo vem fazendo uma revisão completa de seu portfólio de direitos. Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo. Assim, não restou alternativa à Globo a não ser rescindir o contrato.

Grandes players mundiais têm sido obrigados a renegociar seus acordos sobre eventos esportivos em razão da crise econômica provocada pela covid-19, que, no Brasil, ainda é acentuada pela desvalorização cambial, que multiplica o valor dos contratos em dólar. Como principal competição de clubes das Américas, a Libertadores continua sendo importante para a Globo. No entanto, para que sua transmissão seja viável e satisfatória para todas as partes envolvidas, ela precisa se adequar à nova realidade mundial dos direitos esportivos e à situação econômica vivida pelo país. Por fim, é importante esclarecer que havia no contrato cláusula específica de rescisão em caso de suspensão da competição por períodos prolongados, por motivo de força maior.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

14 Comentários

  1. Tá falindo… o Brasil agradece!! Larguei a Globo durante a quarentena e fui desintoxicada.

    Responder
  2. Vá para o quinto dos infernos, Globolixo!

    Responder
  3. Já disse e repito, ver a #GLOBOLIXO se ferrar é uma delícia.

    Responder
  4. Quero que a GloboLixo se afunde cada vez mais até acabar. Emissora maldita.

    Responder
  5. A falência da Globo seria bom demais. Imagine Zé de Abreu, Casagrande, Chico Pinheiro implorando uma vaguinha na Record.

    Responder
  6. Nem lembro mais qual foi o último programa, ou jogo, que ví no canal aberto dessa emissora. No mínimo, uns 18 meses. O canal por assinatura, desde o início do ano. Cansei e peguei até uma certa aversão. Tempos atrás, um parente próximo me disse que depois que parou de assistir os noticiários dessa emissora passou a se sentir muito melhor. Felizmente, temos boas e melhores opções, não só na TV e rádio como na internet.

    Responder
  7. #GloboLixo

    Responder
  8. Faz tempo que não vejo a Globo. Mas esta claro que esta faltando grana. São três anos seguidos de prejuízo operacional. Começou com a briga com o Temer (que tentou derrubar) e agora com o Bolsonaro. Sem o dinheiro público e principalmente das estatais, ficou difícil manter o “padrão Globo”. Não da mais para esconder. Terão que rezar para a esquerda voltar e enfiar grana lá, como fez em 2002 (salvando o Jornal) e durante todos os mandatos petistas (motivo do apoio incondicional, ainda que dissimulado, a esquerda).

    Responder
    • Foi o único comentário que tocou direto no nervo: estatais. O Brasil viveu o auge do metacapitalismo no mundo. Outras campeãs nacionais seguirão o mesmo rumo, a menos que derrubem rápido o governo. Daí a pressa.

      Responder
  9. O dia que a GloboLixo falir vou soltar caixas e caixas de fogos de artificios. Emissora canalha, mentirosa e bandida.

    Responder
    • Não esquecer, gustavo, de soltar esses fogos bem longe do stf.

      Responder
  10. Que se dane!

    Responder
  11. Tchau Globo! Momentos como este são LIBERTADORES

    Responder
  12. Libertadores serão nossos momentos sem essa Globolixo.
    Globolixo é um lixo.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Supremas safadezas

Como os ministros do Pretório Excelso, o promotor da minha infância se julgava onipresente, onisciente e onipotente

A Suprema Corte e o abuso do poder

Quando juízes se tornam “superlegisladores”, as instituições se fragilizam e a sociedade perde a fé no sistema democrático

David Hume cancelado

Está em curso uma espécie de eugenia intelectual que conta com a simpatia ou covardia de reitores e professores de prestigiadas universidades internacionais

Vacina contra ditadura

Na ONU, Trump fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito — e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

E chegamos à era dos ciborgues

Teremos nosso potencial mental multiplicado e nossas ações serão, literalmente, rápidas como o pensamento. O que faremos com esse novo poder?

Os intelectuais e a sociedade

Intelectuais ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês