R$ 200: por que querem mudar o tamanho da nota? - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 25 set 2020, 14:28

Por que querem mudar o tamanho da nota de R$ 200?

25 set 2020, 14:28

Possibilidade é levantada em torno de questões de acessibilidade

nota de R$ 200 - bacen - defensoria pública do distrito federal

Nota de R$ 200 está em produção desde o início de setembro
Foto: Agência Brasil

Lançada pelo Banco Central (Bacen) no início do mês, a nota de R$ 200 pode ter seu tamanho repensado. Isso porque a Defensoria Pública do Distrito Federal alega que a dimensão da cédula não cumpre normas previstas na Constituição Federal.

Leia mais: “Governo economiza R$ 1 bilhão com home office na pandemia”

De acordo com recomendação enviada nesta semana ao Bacen e à Casa da Moeda, será necessário mudar o modelo da nota. Nesse sentido, o órgão defende a inclusão de itens relacionados à acessibilidade. A ideia é, por exemplo, adotar um tamanho diferente para ajudar cegos e pessoas com baixa visão.

“Não houve diferenciação entre o tamanho dessas cédulas e o das de R$ 20”

“Essas notas violam o direito fundamental à informação acessível”, comenta a Defensoria Pública do Distrito Federal. “Não houve diferenciação entre o tamanho dessas cédulas e o das de R$ 20. É um retrocesso na garantia de direitos constitucionais das pessoas com deficiência, especialmente as pessoas cegas”, explica o órgão.

Até o momento, o Bacen não afirmou se planeja acatar a recomendação e, assim, mudar o tamanho da nota de R$ 200.

MAIS: “Deputada do Psol reclama dos outros, mas…”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 Comentários

  1. Argumento errado! As notas em reais já tem o valor em braile.
    Notas de 200, tem que ter tamanho maior do que as de 100, para dificultar a falsificação da moeda.

    Responder
  2. Pois a minha pergunta, ainda é;
    O porque dessa nota de R$200?

    Responder
    • Deve ser pra aumentar a farra, a algazarra, a safadeza com o dinheiro publico. Nao passam de bestas parasitas devoradoras de riquezas. Devem ser expurgadas com um bom laxante para o bem do pais.

      Responder
  3. Minha sugestão de tamanho é o A4 pois vai dar pra fazer aviãozinho ou barquinho para os filhos dos que tiverem essas notas, brincarem .

    Responder
  4. Dinheiro vivo não circula mais. Com o PIX, aí mesmo é que não vai precisar mais de moeda corrente.

    Responder
    • PIX o cacildis!

      Responder
  5. com tantos problemas sérios para serem resolvidos nesse país de espertalhões assaltando os cofres públicos o que atraia a atenção da Defensoria Pública do Distrito Federal é o tamanho da nova cédula de 200 reais – parece piada, mas não tem graça alguma.

    Responder
  6. Sobra tempo para discutir sobre o tamanha da nota de R$200,00, então me parece que todos os problemas do país já foram resolvidos. Esse bando de hipócritas.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

É o “mecanismo”

É o “mecanismo”

A 3ª maior doadora da campanha paulistana do PSOL é uma herdeira da empreiteira de obras públicas Andrade Gutierrez...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês