Porto Feliz: o sucesso de uma administração que foi contra o 'lockdown' - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 20 nov 2020, 21:36

Porto Feliz: o sucesso de uma administração que foi contra o ‘lockdown’

20 nov 2020, 21:36

Prefeito foi reeleito com 92% dos votos válidos

Quase uma unanimidade. O prefeito de uma pacata cidade no interior paulista foi reeleito com 92% dos votos válidos nestas eleições municipais. O segredo para o sucesso nas urnas? Pelo menos no quesito “crise sanitária”, fazer tudo ao contrário do que pregou a gestão do Estado de São Paulo e da maior parte dos governos estaduais e municipais no país.

Conheça mais sobre Porto Feliz, a cidade administrada pelo médico e prefeito reeleito, Cássio Prado (PTB): “O que Porto Feliz tem a ensinar ao Brasil”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 Comentários

  1. Comparar uma cidade de 50 mil habitantes com outra de 12 milhões é possível? Em Porto Feliz milhões de pessoas precisam tomar o metrô lotado todos os dias e ainda fazer baldeações de ônibus também lotados? Porto feliz tem 2 milhões de pessoas vivendo em favelas sem saneamento básico? Pelo amor de Deus….

    Responder
    • Isso mesmo, acho que numa cidade maior os resultados seriam muito melhores e pouparíamos milhares de vidas.

      Responder
      • Tem toda razão! O índice de mortalidade por milhão da capital é um dos mais altos do mundo. Basta pegar os dados e calcular.

        O vírus é “malvado”? Seria menos se houvesse boa gestão e foco na saúde.

        Mas sem problema! Covas e Dória foram tratados pelo Sírio e Einstein.

        Os pacientes dos Postos de Saúde não tiveram a mesma sorte.

        Sem contar a quebradeira provocada pelo Joãozinho Tranca Rua. Irresponsável!

        Responder
    • Junior, é só estender o tratamento que fez sucesso às grandes cidades em proporções maiores. O sucesso da receita do Prefeito Dr. Cassio Prado é incontestável. Ou você é contra que mais pessoas sejam salvas da covid?

      Responder
      • Bem assim, Neto.

        Responder
    • O que garantiu o sucesso foi o tratamento preventivo com os remédios apropriados e isto pode ser feito em dois milhões ou cinquenta milhôes

      Responder
    • As medidas tomadas pelos prefeitos foram distintas. Enquanto Porto Feliz investiu no tratamento precoce, Covas investiu em sacos mortuários e caixões. Postos de saúde prescreviam (ainda prescrevem) dipirona, antigripal e/ou tamiflu. Não por falta de recursos, naturalmente. Obediente ao seu padrinho, não distribuiu kit de tratamento precoce para pacientes, nem os de profilaxia para os profissionais da saúde.
      Profissionais da saúde não tinham máscaras e jalecos. Eu pessoalmente fiz e doei em um posto de saúde.

      Dá para comparar a gestão…. Porto Feliz foi “pela vida”.
      São Paulo foi pela demagogia e pela morte.

      Ah! E Covas tomou HCQ. Informação de amigo…

      Responder
  2. Aos idiotas. Contra fatos não existe argumentos. PONTO.

    Responder
  3. Era só não ter parado o Brasil, Porto Feliz fez o correto. A pandemia nunca existiu, pois ainda faltam 63.000 mortes no Brasil para chegarmos ao mesmo nr do ano passado. Que pandemia e essa?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

O custo e o valor de ser ‘contrariador’

Prêmios como o ‘Contrarian Prize’ servem para aplacar o medo que muitos têm de se manifestar em defesa daquilo em que acreditam e assim reduzir o poder social do cancelamento cultural

Mentir e trancar é só começar

“Se você começar a proibir aglomeração em ônibus, vai faltar povo pra abastecer a quarentena vip, né?” / “Aí você captou tudo. Vidas doces importam”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Não é erro, é viés!

Não é uma tese conspiratória imaginar que há, sim, esquema nas pesquisas. Essa é uma possibilidade plausível

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O ex-mártir

O ex-mártir

"O antigo santo da luta anticorrupção, bandido para a esquerda e traidor para os bolsonaristas é um homem como qualqu...
A descoberta do ano

A descoberta do ano

"Desde o primeiro caso de covid-19, boa parte dos políticos viram na epidemia uma belíssima oportunidade para tirar pr...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 37 — 04/12/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês