Preocupado com inflação, Bolsonaro questionará produtores de soja

Edição da semana

Em Em 27 out 2020, 10:40

Preocupado com inflação, Bolsonaro questionará produtores de soja

27 out 2020, 10:40

Articulado pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, encontro terá representantes de ‘holdings’ multinacionais e cooperativas processadoras do grão

jair bolsonaro, soja, inflação, reunião, tereza cristina, paulo guedes, roberto campos neto, agronegócio

Bolsonaro não quer que soja se torne mais um ‘vilão inflacionário’, como o arroz
Foto: Coloradogoias/Wikimedia Commons

O presidente Jair Bolsonaro se encontrará, nesta terça-feira, 27, com representantes de holdings multinacionais e cooperativas processadoras de soja.

Articulada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, a reunião servirá para que o presidente questione os produtores sobre o aumento do preço do grão e seus derivados, como o óleo de soja, a um patamar elevado.

Juntos aos convidados, a ministra deve mostrar ao presidente que a cotação internacional da commodity, a forte demanda chinesa durante a pandemia de coronavírus, a desvalorização do câmbio e os reflexos de tudo isso na Bolsa de Chicago, onde são formados os preços da oleaginosa, causam um ajuste para cima no valor do produto.

O temor entre os que vão participar do encontro é que Bolsonaro faça cobranças mais duras, como ocorreu no caso do arroz, visto que, de acordo com a prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo para 15 dias de outubro (IPCA-15), o óleo de soja aumentou 22,34% nas prateleiras dos supermercados. Foi o item que mais pesou no bolso do brasileiro no mês, e no ano já subiu 50%.

O setor argumentará que não tem como mexer com as variáveis do mercado expostas. E que a próxima safra de soja deve ser colhida já no início de 2021, o que deve baixar, pelo menos um pouco, o preço do grão.

O chefe do Palácio do Planalto demonstra preocupação com a questão inflacionária do país e já deixou isso bastante claro ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. Penso que o mercado interno deveria ser prioritário para atendimento do setor agrícola, especialmente quando é o maior produtor mundial da soja e outros grãos. Não é possível que exportemos grandes quantidades do produto deixando o mercado interno a mercê da lei da oferta e da procura, acrescida de fatores externos de aumento da taxa de cambio que torna o produto em reais insuportável aos consumidores. Ora, se é uma regra de obediência as leis do mercado, creio que União poderia estabelecer uma tributação aos ganhos cambiais dos exportadores, para subsidiar o consumo interno. É lamentável que a população do pais de maior produção de soja, pague o preço “cambial” do seu próprio produto.

    Responder
    • O Brasil sempre exportou o miolo e deixou a casca. Já passou da hora de priorizar os brasileiros com o de melhor e com boa demanda para que não tenhamos que pagar um preço abusivo como sempre acontece.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês