Produção da vacina de Oxford no Brasil custará R$ 1,8 bi - Revista Oeste

Em 1 ago 2020, 11:25

Produção da vacina de Oxford no Brasil custará R$ 1,8 bi

1 ago 2020, 11:25

A produção do imunizante é de responsabilidade da farmacêutica AstraZeneca

vacina-coronavírus

Vacina contra o coronavírus | Foto: HEATHER HAZZAN/ONE MEDICAL/FLICKR

O Ministério da Saúde pretende investir R$ 1,8 bilhão para produzir a vacina da farmacêutica AstraZeneca contra o coronavírus, cujos testes são conduzidos pela Universidade de Oxford. Desse valor, R$ 522 milhões irão para a estrutura da unidade da Fiocruz que produz imunobiológicos, a Bio-Manguinhos, e R$ 1,3 bilhão será destinado a pagamentos previstos no contrato de encomenda tecnológica.

Leia também: Vacina de Oxford apresenta bons resultados

Em nota à imprensa divulgada nesta sexta-feira, 31, o ministério informou que foi assinado um documento que “dará base para o acordo entre os laboratórios sobre a transferência de tecnologia e produção de 100 milhões de vacinas contra a covid-19, caso seja comprovada sua eficácia e segurança”.

A assinatura definitiva do acordo tem previsão para ocorrer na segunda semana de agosto, quando será garantido o acesso a 100 milhões de doses do insumo da vacina, “das quais 30 milhões de doses entre dezembro e janeiro e 70 milhões ao longo dos dois primeiros trimestres de 2021”, detalhou o ministério.

O governo disse ainda que a vacina produzida por Bio-Manguinhos será distribuída pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), que atende o Sistema Único de Saúde (SUS).

Com informações Estadão Conteúdo

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias