Quem é Cláudio Castro, vice que assume lugar de Witzel - Revista Oeste

Edição da semana

Em 28 ago 2020, 15:58

Quem é Cláudio Castro, vice que assume lugar de Witzel

28 ago 2020, 15:58

Interlocutores afirmam que vice-governador tem perfil conciliador e manteve bom trânsito com membros da família Bolsonaro

Claudio Castro

Vice-governador também foi alvo da mesma operação que afastou Witzel
Maga Jr/Estadão Conteúdo

O vice-governador Cláudio Castro assume nesta sexta-feira, 28, o governo do Estado do Rio de Janeiro. A dança das cadeiras ocorre após o afastamento de Wilson Witzel (PSC).

Contudo, Castro assume o cargo mesmo sendo um dos alvos da operação que afastou Witzel.

Avaliado por interlocutores como um conciliador, o vice assume o posto com a missão de amenizar a crise no governo fluminense. De acordo com pessoas próximas, Cláudio Castro já se preparava para assumir o governo com a possibilidade de Witzel sofrer um processo de impeachment. 

Nascido em Santos (SP) e cantor gospel com dois álbuns já lançados, em 2018 Castro cumpria o seu primeiro mandato como vereador na Câmara Municipal do Rio. Na ocasião, foi escalado pelo PSC para ser candidato a vice do quase desconhecido ex-juiz federal que tentava a sorte na política.

Ao aceitar o convite, Castro afirmara que a empreitada de Witzel não teria sucesso e que o projeto político seria um fracasso. No entanto, com Witzel eleito na esteira do bolsonarismo, coube a Castro o papel de “antessala do governador”, como passou a ser chamado ironicamente por prefeitos de interior do Estado que tinham dificuldades de estabelecer diálogo.

Aliás, deputados estaduais recorriam a Castro para tratar de assuntos com o Executivo. Discreto, o vice-governador é considerado “habilidoso” nos bastidores.

Amigo do ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ele também manteve bom trânsito com membros da família Bolsonaro, da qual Witzel se tornou desafeto após se declarar pré-candidato à Presidência da República em 2022.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 Comentários

  1. Amigo de Maia e Paes não pode ser grande coisa.

    Responder
  2. Amigo de Maia, de Paes…. xíi mais do mesmo!

    Responder
  3. A aleatoriedade na vida das pessoas não surpreende mas impressiona. De cantor gospel e vereador em primeiro mandato a governador do estado, sem escalas.

    Responder
  4. O destino fez cair no seu colo uma oportunidade ímpar.
    Vamos ver agora o que ele irá fazer com esta oportunidade:
    Irá aproveitar e se candidatar a vôos maiores ??
    Ou seguirá o exemplo do seu antecessor e trocará os pés pelas mãos e cometerá suicídio político. ??

    Estou na torcida para que seja a primeira. 😎😎😎

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

As piores eleições do mundo

A cura para a desgraça que são as eleições brasileiras é um conjunto de meia dúzia de providências simples como a tabuada

EUA — O que está em jogo

Em confronto, duas visões antagônicas sobre temas como geopolítica e comércio internacional, impostos e saúde, clima e energia, China e Oriente Médio

Meio ambiente é causa conservadora

Conservadores não podem se eximir da responsabilidade e reforçar a ideia de que preservação ambiental é pauta da esquerda

O plebiscito dos mentecaptos

Acaba o auxílio emergencial, mas começa a campanha emocionante do Ricardo Barros pelo plebiscito — e emoção é alimento espiritual

Nova Constituição para quê?!

Uma Carta ruim como a nossa deve ser reformada, e não anulada para que outra seja escrita. Essa é a solução conservadora

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O pai, o filho e o deboche

O pai, o filho e o deboche

A ideia geral de que não se deve praticar certas coisas em público, porque “pega mal”, parece caminhar rapidamente...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 32 — 30/10/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês