Rachadinha em Alagoas: Justiça absolve Arthur Lira - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 4 dez 2020, 17:36

Rachadinha em Alagoas: Justiça absolve Arthur Lira

4 dez 2020, 17:36

Líder do Centrão foi alvo de denúncia da Procuradoria-Geral da República

arthur lira - inocentado - rachadinha em alagoas

Arthur Lira é deputado federal pelo PP de Alagoas | Foto: Divulgação/Câmara

O Tribunal de Justiça de Alagas (TJ-AL) entende que o deputado federal Arthur Lira (PP-AL) não participou de esquema de rachadinha quando atuou no Legislativo estadual. Em parecer tornado público na quinta-feira, 3, o parlamentar foi inocentado de denúncia que o colocava como beneficiário de R$ 1 milhão que teriam sido repassados por assessores.

Leia mais: “Senador reclama de projetos ‘engavetados’ na Câmara”

A denúncia contra Lira foi apresentada em 2018 pela então procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Segundo documento do Ministério Público, o hoje líder do Progressistas e do Centrão na Câmara dos Deputados teria participado do esquema conhecido por rachadinha e que movimentou a Assembleia Legislativa de Alagas de 2001 a 2007, conforme informou Oeste. Antes de cumprir agenda em Brasília, Lira foi deputado estadual por três mandatos consecutivos, de 1999 a 2010.

A decisão em favor de Arthur Lira partiu do juiz Carlos Henrique Pita Duarte. Por meio do Twitter, o parlamentar comemorou o desfecho da ação judicial. “A vida do homem público é um livro aberto e quem está nela precisa ter serenidade”, publicou na tarde desta sexta-feira, 4. “Nada como um dia depois do outro”, prosseguiu o deputado federal que se coloca como candidato a presidente da Câmara.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Bandido!
    O Congresso vai trocar 6 x por meia dúzia: Botafogo pelo Lira. Aff!

    Responder
    • Se o STF é esta ORCRIM SUPREMA, imaginem o que são os tribunais estaduais.

      Responder
  2. A corrupção é parte do modus operandi da esquerda.
    Permitimos o retorno ao país pela malfadada Lei da Anistia, dos corruptos e marginais exilados/banidos e fugidos.
    De lá para cá, com o início consumado na primeira gestão de FHC, a corrupção veio num vetor crescente, abrangeu todos os órgãos públicos, se tornou sistêmica.
    Hoje enfrentamos as absurdas e inesperadas sabotagens e traições desde parte dos vinculados ao MEC, passando por políticos eleitos para alguns dos os estados, munícipios e Parlamento, e culminando no STF!
    Fruto de nossa omissão ao longo de mais de 30 anos de ações voltadas no sentido de nos cooptar pró esquerdopatia.
    Agora pagamos o preço!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O partido contra o Brasil

Ninguém ainda descobriu no planeta um jeito tão eficaz de concentrar renda quanto a fórmula usada para administrar as contas públicas no país

A paciência acabou

Os brasileiros começam a reagir à cassação dos direitos individuais

Os novos senhores do mundo

Os gigantes da tecnologia censuram Trump, fazem o que bem entendem e exercem um poder global desmedido. Isso é justo?

Eficácia

“Você demorou muito a comprar. Eficácia depende de rapidez” / “Poxa… Se eu soubesse teria comprado mais rápido. Ando muito dispersivo”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Como surgiu o novo coronavírus?

A resposta mais provável, até o momento: o vírus teve origem em pesquisas com manipulação genética no Instituto de Virologia de Wuhan

Globalistas assanhados com Biden

Eles não costumam viver de fatos, apenas de narrativas. Adotam a visão estética de mundo, e por isso a ONU é seu maior símbolo

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês