Reforma tributária pode acelerar crescimento econômico - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 17 jul 2020, 12:35

Reforma tributária pode acelerar crescimento econômico

17 jul 2020, 12:35

Para o Ipea, PIB poderá crescer, no acumulado até 2033, 5,42% a mais do que cresceria num cenário sem reforma, com taxações consideradas verdadeiras anomalias

reforma tributária, ipea, unificação de impostos

Reforma tributária pode acelerar crescimento econômico, diz Ipea | Foto: Domínio Público/PxHere

Ao simplificar e racionalizar o sistema de cobrança de impostos no país, a reforma tributária poderá acelerar o crescimento econômico. Caso vingue, a proposta de um imposto unificado sobre o consumo, com taxa de 25% e implantação total em até dez anos, o PIB poderá crescer, no acumulado até 2033, 5,42% a mais do que seria possível num cenário sem reforma, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O estudo, em nota técnica do pesquisador João Maria de Oliveira, considera apenas a unificação dos impostos federais, estaduais e municipais sobre o consumo, embutidos nos preços finais de mercadorias e serviços. Ficaram de fora os tributos sobre renda e patrimônio e sobre a folha de pagamentos.

No Brasil, os diferentes impostos sobre o consumo respondem por aproximadamente 50% da arrecadação total, uma anomalia internacional. Entre os membros da OCDE, a maior parte da arrecadação vem de impostos sobre renda e patrimônio, ainda segundo o Ipea.

Uma consequência disso é que os preços em geral ficam mais elevados, prejudicando os mais pobres. Eles pagam mais impostos proporcionalmente à renda, porque os tributos embutidos nos produtos são os mesmos para pobres e ricos.

Além disso, “benefícios fiscais, regimes especiais e isenções”, previstos numa “montanha de leis, decretos, regulamentos e portarias”, geram distorções na economia, aponta o instituto.

“É uma oportunidade de, ao fazer esse rearranjo, possibilitar que a economia se movimente com uma alocação mais eficiente dos investimentos”, frisou Oliveira.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. Não acredito, vindo desse pessoal de Brasília? Esperem e vejam que no fim, a carga tributária vai aumentar.

    Responder
  2. Igual às reformas trabalhistas e da Previdêmcia que iriam gerar milhões de empregos? kk Só sendo muito GADO para acreditar nestas vigarices da Direita.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês