Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Carta ao Leitor

A compra do Twitter por Elon Musk está entre os destaques desta edição

O tema central desta edição de Oeste é a liberdade. Liberdade política, ideológica, econômica, sobretudo a liberdade de expressão. É fundamental defender com especial vigor esta ramificação num momento em que quase toda a imprensa brasileira — com seus “consórcios” e “agência de checagem” em busca de notícias que contrariem o discurso da mídia oficial — vai se transformando na única do mundo democrático disposta a defender a censura.

“É, em sua grande maioria, a favor do projeto de ‘controle social’ da mídia que Lula promete criar no Brasil para calar a voz das redes sociais”, diz J.R. Guzzo. Na esteira da imprensa, ele relaciona várias entidades engajadas na militância ostensiva contra a liberdade. Entre elas figura a Ordem dos Advogados do Brasil.

A OAB, constata Guzzo, “não admite, nem mesmo, a realização de eleições livres para escolher a sua própria diretoria”. O comando da Câmara e o do Senado, por sua vez, apoiaram a prisão de um parlamentar. De novo Guzzo com a palavra: “É toda a polícia que se formou em torno da covid, da vacina e do ‘fique em casa’. São todos, enfim, que não conseguem pronunciar a palavra ‘liberdade’ sem juntar a ela, imediatamente, a palavra ‘limites’”.

Termos semelhantes foram usados na semana passada durante o julgamento do deputado federal Daniel Silveira pelos ministros do STF. “O direito à liberdade de expressão, na própria jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, não é um direito absoluto”, afirmou o presidente Luiz Fux. “A liberdade de expressão não é um direito absoluto”, concordou Luís Roberto Barroso.

Enquanto a cúpula do Judiciário brasileiro submetia a liberdade a sessões de tortura, Elon Musk consumou a compra do Twitter. O bilionário que lidera a lista dos mais ricos da Forbes não economizou dinheiro no esforço para libertar o pássaro azul da gaiola ideológica. Coincidentemente ou não, páginas de pessoas e sites tidos como de direita ou conservadores registraram expressivos aumentos de seguidores. O futuro do Twitter e suas consequências globais são examinados pela reportagem de capa desta edição, escrita em parceria por Cristyan Costa e Dagomir Marquezi. O desfile de informações é ampliado pelas colunas de Ana Paula Henkel, Guilherme Fiuza e Rodrigo Constantino.

Em homenagem a esse tema considerado essencial para Oeste, reproduzo abaixo um trecho do pacto que a revista formalizou com seus leitores no dia de seu nascimento: “Estamos convencidos de que todo homem tem direito a um conjunto de liberdades naturais, não negociáveis e evidentes por si mesmas — as liberdades de expressão, de posição política, de religião, de voto, de ir e vir, de empreender e de conservar o fruto do seu trabalho. Nenhuma delas é dada pelos governos; todas fazem parte do patrimônio com que já nascem todos os seres humanos”.

 

Boa leitura.

Branca Nunes
Diretora de Redação

O bilionário Elon Musk comprou o Twitter | Ilustração: Montagem Revista Oeste/Domínio Público
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Às liberdades essenciais citadas, junto a sexual, porque o corpo é propriedade de cada um e como tal deve ser respeitada.
    Oeste é para ser louvada como reduto da liberdade.
    Parabéns a todos.

    1. Na verdade, cara sra. Luzia Helena, o corpo NÃO é propriedade de cada um, pois foi Deus quem o criou ( e colocou a sua alma nele…), logo, eu, vc., apenas temos a liberdade de usá-lo como quisermos, mas ele não é nosso, é do Criador de tudo. Claro, vc. faz o que quiser com ele, inclusive, sexualmente, mas ele não é seu e há conseqüencias do mal uso dele, mas sim; vc. faz o que desejar dele. Abs.

  2. Nem todo correto de hoje, ontem foi correto, quem dirá do de amanhã.
    Não nascemos para ficarmos parados, modas e modismos são passageiros, ideologias também.
    Um viva para a real liberdade de expressão dentro da verdeira liberdade de atuação.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.