Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Carta ao Leitor

Os mais recentes surtos liberticidas de Alexandre de Moraes e a celebração do ódio estão entre os destaques desta edição

Na terça-feira 19, o jornal que lidera o ranking dos maiores do país com minguados 70 mil exemplares estampou a manchete: “Bolsonaro mente sobre urnas a estrangeiros; Fachin pede basta”. No canto da página, em letras microscópicas, o complemento: “Bolsonaristas terão de apagar fake news sobre PT e PCC, decide Moraes”. Nenhuma linha sobre informações relevantes: essas ligações aparecem na delação de Marcos Valério, protagonista do escândalo do mensalão, que foi validada pelo STF e teve alguns trechos divulgados pela revista Veja. Para o jornal, um ministro do STF censurar os que dizem o oposto do que ele considera verdadeiro não tem importância. Muito mais grave para esses critérios jornalísticos é Bolsonaro fazer o que já fizeram todos os atuais candidatos à Presidência.

“Nada é infalível, só Deus”, afirmou Lula em 2002. “Não sabemos se a urna pode ser manipulada ou não.” Há sete anos, Simone Tebet defendeu a impressão do comprovante do voto. “Será que o meu voto depositado na urna, depois de processado, se concretiza?”, perguntou, numa entrevista. “Então, para que o eleitor tenha tranquilidade, e ele possa saber que a partir de 2016 e 2018 ele vai ter a comprovação.” No ano passado, também Ciro Gomes defendeu a adoção do voto auditável. “Qual o problema em tornar um sistema que já é bom em um sistema melhor?”

O fato é que o homem que comandará as eleições deste ano é o inimigo número 1 do presidente da República. Como afirma J.R. Guzzo no artigo de capa desta edição, o STF se transformou num tribunal que joga a favor de Lula. Num dos seus tantos disparates, por exemplo, Moraes fixou o prazo de 48 horas para que Bolsonaro se manifestasse sobre uma ação impetrada pelos partidos de oposição contra “discursos de ódio”.

Quem, afinal, age movido pelo ódio? Há uma semana, foram divulgadas imagens de um filme que retrata Bolsonaro morrendo em uma motociata. Dois anos atrás, um colunista da Folha publicou um artigo com o título “Por que torço para que Bolsonaro morra”. Em seguida, um vídeo mostrou crianças jogando futebol com uma escultura ultrarrealista da cabeça do presidente. Durante a campanha eleitoral, ele foi vítima de uma facada. Ainda assim, ele e seus eleitores é que são diariamente acusados de homofóbicos, genocidas, racistas e fascistas. 

Para não ser acusado de difundir fake news ou de cometer um ato antidemocrático, leia o Guia da Verdade Eleitoral, montado por Guilherme Fiuza. Entre as expressões permitidas, duas merecem destaque: “Lula não sabia” e “Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Luiz Edson Fachin são obcecados pelo equilíbrio entre os Poderes”.

As proibidas você encontra diariamente nas reportagens de Oeste.

 

Boa leitura.

Branca Nunes

Diretora de Redação

Ministro Alexandre de Moraes | Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

16 comentários Ver comentários

  1. É inaceitável uma disputa ser arbitrada por um fervorosos torcedor de um dos concorrentes e, mais ainda, o processo de apuração ser secreto, sem que ninguém possa saber o que acontece, só existe a fé.
    A suspeita de Bolsonaro e de milhões de brasileiros é justa e nada tem a ver com ataque à democracia, pelo contrário, quem ataca a democracia é quem, de forma veemente e ultra suspeita, não aceita nenhuma possibilidade de transparência na apuração.
    Quanto mais se exige uma fé cega e inatacável neste sistema secreto que não é usado em parte alguma do mundo, mais fica parecendo que há algo a esconder, mais fica evidente a falta de credibilidade deste processo eletrônico.
    A transparência na apuração é uma exigência que o povo não pode transigir.

  2. O STF, com o ostensivo apoio de parte da mídia, está empurrando Bolsonaro para as cordas.
    É inaceitável um processo eleitoral com apuração secreta, ainda mais presidido por um inimigo declarado de um dos concorrentes. A fraude não é mais uma possibilidade, já é uma suspeita inafastável.
    A Bolsonaro só resta reagir, e medir as forças que tem para isto.
    Do jeito que está, parece não haver cenário para eleições.

  3. REVISTA OESTE, embora não seja o canal adequado, mas enviei um e-mail para vocês sobre dúvidas acerca de renovação automática de assinatura e até a presente data não obtive resposta. Já procurei um número 0800 de vocês ou mesmo SAC para ligar, mas não encontrei, posto que localizei apenas contato via e-mail. Estou aguardando resposta. Atenciosamente,

  4. Fui procurar na Internet quando que essa loucura comunista começou e encontrei a década dos anos 1870. Aqui na América Latina a coisa parece ter se tornado um ato obrigatório que, mesmo antidemocrático, seria anticonstitucional, ao menos no Brasil.
    Mas com tantos dando palpite e sem uma mão forte, como aconteceu na história americana e a confecção de sua lei, aqui estamos com esse quadro de desencontros, tudo devido a uma corrupção liderada pela esquerda – programática e totalitarista.
    Se não vencermos mais essa, se as Forças Armadas não mantiverem seu papel, já definido em lei, pela ordem e harmonia, então estaremos fadados aos crimes que já ocorrem na Venezuela, Cuba, Argentina, Chile, entre tantos outros latinos…

  5. J.R. Guzzo está de parabéns novamente. Mais uma análise perfeita da situação que estamos vivendo nessa eleição. Quanto a sua afirmação “Não há um único fato que possa ser apresentado para justificar a continuação desse inquérito que não acaba mais, e que não tem similar na história da justiça brasileira”, o Alexandre de Moraes criou o “flagrante perpétuo”, ou seja, todos os fatos que acontecerem e que o contrariarem, servirão para alimentar seu ódio contra Bolsonaro. Será um inquérito perpétuo.

  6. Candidatos, para terem os seus registros confirmados, terão que provar que são Fichas Limpas. Será que todos conseguirão fazê-lo ?

  7. A imprensa era os olhos do povo, era poderosa. Hoje ela perdeu esse norrau. O povo tem um minúsculo computador na mão pra conferi-lhe
    os erros. Estamos na era dos Andróides, só ela não vê

  8. A Cleptoquerda que tem o Poder desde 1985, e de 2003 a 2014 o PT aprofundou as Raizes aparelhando todas Instituições e todo Estado, para CRIAR A REPÚBLICA BOLIVARIANA DO BRASIL, qdo viu que perdeu a Eleição em 2018, e com mais 4 anos longe do poder, todo aparelhamento iria ralo abaixo, TRAMOU UM GOLPE DE ESTADO SORRATEIRO, MAS CRIMINAL, PARA ELEGER O CHEFE DO SISTEMA..

  9. O pior nisso tudo é a impressão de que não temos defesa contra os abusos do senhor ALEXANDRE DE MORAES e dos seus colegas no STF. É verdade isso? Não temos defesa contra abusos cometidos por ministros do STF/TSE? Que democracia é esta?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.