Carta ao Leitor

O absurdo projeto de lei do Senado, o uso do dinheiro do pagador de impostos e a beleza na política

O disparate perpetrado pelo Supremo Tribunal Federal foi reeditado no Senado. O inquérito das fake news no STF e o PL 2.630/20, aprovado na terça-feira 30 de junho, são aberrações impensáveis em qualquer país democrático.

Observam-se atrevimentos dessa natureza em diversas nações, para a perplexidade de todos os defensores dos valores sobre os quais a civilização ocidental foi construída. Recentemente, a Corte Constitucional Francesa rejeitou uma lei aprovada pelo Parlamento, similar ao PL do Senado, sob a justificativa de que, na prática, se tratava de restabelecer a censura. E mais: havendo uma instância com atribuições para julgar se determinado conteúdo configura ou não “discurso de ódio” ou “fake news”, a Justiça estaria sendo terceirizada.

No Brasil, na eventualidade de o PL virar lei e o assunto ser levado ao Supremo, os sinais são de que os ministros do STF não seguirão o exemplo dos juízes constitucionalistas franceses. O artigo de J. R. Guzzo, capa desta Edição 15 da Revista Oeste, expõe todo o absurdo dessa lei da mordaça. Agora, convém que a sociedade exerça pressão sobre a Câmara dos Deputados, como alerta Ana Paula Henkel. O colunista Guilherme Fiuza também trata do tema, apresentando um diálogo tão nonsense quanto a tal lei que o Senado almeja estabelecer.

A vigilância também é exigida quando o foco é o uso do dinheiro do pagador de impostos. A repórter Roberta Ramos foi investigar o volume de recursos aplicados na montagem de hospitais de campanha e descobriu que a contratação de leitos na rede privada seria uma alternativa mais racional, embora menos midiática. E a editora Branca Nunes, com os repórteres Cristyan Costa e Artur Piva, fizeram uma alentada pesquisa sobre os custos do STF. Veja o resultado do dossiê e tire suas próprias conclusões.

Em Brasília, o repórter Wesley Oliveira esteve com a ministra Damares Alves para apurar como está sendo utilizado o orçamento do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A conversa com a recordista de popularidade da Esplanada resultou na entrevista que é destaque nesta edição.

Lembrando que política também pode ser feita com respeito à beleza, o cientista político Bruno Garschagen oferece ao leitor um artigo de notável elegância.

Boa leitura.

Os Editores.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. A Revista Oeste veio para balizar e equilibrar o bom Jornalismo levado a sério. quem nao se balizar por este bom jornalismo serao esmagados pela opiniao pública.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.