Rodízio ampliado manifesta 'sanha arrecadatória' da prefeitura de SP, diz Fernando Holiday - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 9 maio 2020, 09:40

Rodízio ampliado manifesta ‘sanha arrecadatória’ da prefeitura de SP, diz Fernando Holiday

9 maio 2020, 09:40

O vereador de São Paulo Fernando Holiday (Patriota) afirma que o decreto do prefeito Bruno Covas é ilegal

A partir de segunda-feira, 11, carros com placas de final par só poderão rodar em dias da semana pares e veículos com final ímpar, nos dias ímpares. A medida vale para toda a cidade, durante as 24 horas do dia, inclusive aos sábados e domingos | Foto: FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDO

Em vídeo enviado a Oeste, o vereador Fernando Holiday critica a medida do rodízio estendido na cidade de São Paulo.

Para ele, restringir a circulação de carros vai aumentar a aglomeração no transporte público da cidade.

O vereador acredita que a decisão de estender o rodízio tem o objetivo de arrecadar dinheiro para a prefeitura com as multas de trânsito.

Ele defende ainda que o decreto é ilegal, um vez que “um decreto não pode alterar a natureza de uma lei” e afirma que entrou com uma Ação Popular contra a medida do prefeito Bruno Covas (PSDB). “O isolamento social não pode ser feito às custas do prejuízo da população”, diz.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 Comentários

  1. Este decreto só expõe um pouco mais a forma aleatória com que as medidas para combater a epidemia vêm sendo adotadas, tanto pela prefeitura como pelo governo estadual. Onde estão os estudos que respaldam essas medidas?

    Responder
  2. Vá em frente Holiday. Prefeitos e governadores não podem nos impor comportamentos que possam nos afetar. Veículo é uma coisa essencial para que possamos nos locomover ( fazer compras e etc. ) e seguro contra o vírus.

    Responder
  3. Desde que assumiu, Bruno das Covas vem dando repetidas demonstrações de incapacidade e mediocridade na administração pública da capital. Vai acabar superando Celso Pitta e Fernando Haddad no ranking dos piores prefeitos de São Paulo.

    Responder
  4. Covas, você é pau mandado da Dóris, peça as contas e vá se tratar!

    Responder
  5. Se a intenção é realmente arrecadar fundos com as multas, mais uma vez a prefeitura vai ficar frustrada..
    O povo não vai desrespeitar a lei, apenas vão superlotar o transporte público..Quando perceberem isso vão revogar essa regra estúpida.
    Um prefeito e governador com a imagem pública cada vez mais desgastada e o pior, sem avanços positivos na prevenção da epidemia..

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês