Rondônia: Operação faz 4 prefeitos trocarem gabinetes por celas

Edição da semana

Em 25 set 2020, 21:03

Operação faz 4 prefeitos trocar gabinetes por celas

25 set 2020, 21:03

Trabalho liderado pela Polícia Federal resultou em prisão de políticos

rondônia - prefeitos presos - polícia federal

Além de levarem políticos para a cadeia, policiais federais apreenderam dinheiro em espécie em Rondônia | Foto: Divulgação/PF

Quatro prefeitos espalhados pelo interior de Rondônia não passaram o dia despachando de gabinetes. Alvo da Operação Reciclagem, o quarteto de políticos foi detido na manhã desta sexta-feira, 25. A ação foi deflagrada pela Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público do Estado.

Leia mais: “PTB expulsa ex-prefeito que se gabou de ‘roubar menos’”

Os quatro prefeitos presos são: Gislaine Clemente (MDB), Glaucione Maria Rodrigues Neri (MDB), Luiz Ademir Schock (PSDB) e Marcito Aparecido Pinto (PDT). Eles são, respectivamente, mandatários das cidades de São Francisco do Guaporé, Cacoal, Rolim de Moura e Ji-Paraná (a segunda maior cidade de Rondônia, com mais de 130 mil habitantes).

De acordo com as autoridades responsáveis pelas prisões, os prefeitos participavam de esquemas de corrupção. Além dos prefeitos, o ex-deputado estadual Daniel Neri foi detido. Ele é o marido da prefeita de Cacoal. Os cinco mandados foram de prisão preventiva.

O que diz a PF?

O delegado Flori Cordeiro Miranda Júnior, da PF, afirmou que o esquema poderia envolver outras autoridades. Conforme explicou em entrevista coletiva, ele garantiu que havia recorrentes pagamentos de propina nas quatro prefeituras em questão.

“É bem possível que mais pessoas teriam se envolvido em um ciclo sem fim. O pagamento sempre foi em dinheiro vivo, de notas de R$ 50 e R$ 100. A frequência [do pagamento] era imediatamente anterior ao dia do vencimento ou posterior ao pagamento com o recado de que, se não houvesse o pagamento, não teria mais.”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Podem prender todos os prefeitos do Brasil, não conheço nenhum honesto.

    Responder
    • Menos, Artur, bem menos. Existem, sim, uma gama de prefeitos honestos. É que estes não aparecem em manchetes.

      Responder
      • Será que chega a 1% os O nestos ?

        Responder
        • 1% ja basta! 1% pode fazer algo de diferente nesse pais.

          Responder
      • ao invés de gama não seria uma grama ?

        Responder
  2. “Se deus e brasileiro ele sacaneou rondonia.“
    Rafinha Bastos.

    Onde estas esse pelego agora? Safado! Fala agora seu m…………………!

    Deviam mandar esses trastes pra um planeta prisao a 1 milhao de anos luz daqui!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês