Bolsonaro corteja MDB de olho no day after do coronavírus

Governo federal articula formação da base para emplacar pautas econômicas. Meta é ter força política depois que o enfrentamento ao coronavírus estiver superado
-Publicidade-
Os presidentes da República, Jair Bolsonaro, faz declaração à imprensa no Planalto
Foto: Carolina Antunes/PR
Os presidentes da República, Jair Bolsonaro, faz declaração à imprensa no Planalto Foto: Carolina Antunes/PR

Em plena pandemia, o presidente se já articula para montar base governista e se fortalecer no governo

O presidente da República e o presidente nacional do MDB estreitaram os laços em reunião nesta semana | Foto: MDB / Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro tomou a frente da articulação pela montagem de uma base governista. É esperado que a agenda prioritária do governo – as medidas de enfrentamento do coronavírus – tenha boa receptividade no Congresso. Mas o governo se movimenta para se fortalecer desde agora. Por isso, mantém um diálogo afinado com o MDB.

-Publicidade-

Na terça-feira 17, Bolsonaro recebeu o presidente nacional do MDB e líder do partido na Câmara, Baleia Rossi (SP), para uma conversa. O parlamentar foi acompanhado de Carlos Marun, membro do Conselho de Administração da Itaipu Binacional e ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, e de Mauro Pereira, ex-deputado federal.

A conversa foi classificada como positiva por ambas as partes. O MDB, que detém as lideranças do governo no Senado, com Fernando Bezerra (PE), e no Congresso, com o senador Eduardo Gomes (TO), classificou o gesto governista de abertura do diálogo como um importante caminho pela aprovação das reformas econômicas no cenário “pós-coronavírus”.

O MDB sinalizou apoio a pautas governistas na área econômica. Em contrapartida, Bolsonaro acenou com a possibilidade de trabalhar junto a aliados o apoio a uma eventual candidatura de Rossi à presidência da Câmara, em 2021. Além disso, dizem emedebistas, o governo não faria objeções a ceder espaço a emedebistas fiéis à agenda governista.

As conversas entre Bolsonaro e Rossi fluem bem. Depois da filiação do apresentador de televisão José Luiz Datena ao MDB, surgiram boatos de que o governo ficou enciumado. Afinal, o comunicador era cortejado para ser um futuro membro do Aliança pelo Brasil.

Tudo, no entanto, não passa de rumores. Um interlocutor da legenda diz que o próprio presidente da República deu aval para o ingresso de Datena no partido em conversa com o presidente emedebista em 11 de fevereiro, fora da agenda oficial.

Aproximação

A aproximação se deve ao atual momento político na relação entre poderes. Passadas as manifestações do último domingo, 15, a relação entre Bolsonaro e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se estremeceu. A articulação política do governo o alertou, e ele mesmo procurou meios de contornar o clima.

Afinal, Bolsonaro sabe que a boa vontade do Parlamento para votar a agenda de enfrentamento do coronavírus não se aplicará a outras pautas quando o problema estiver superado. É um entendimento que vale mesmo para pautas de assunto econômico.

Composição

Por esse motivo, Bolsonaro identificou no MDB a legenda por onde planeja compor com parte do Centrão, a fim de enfraquecer o poder de articulação de lideranças na Câmara como Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Arthur Lira (PP-AL) — nomes que despontam na disputa pelo comando da Câmara — e o próprio Maia. A ideia é combater a “luta pelo poder” citada pelo presidente com um nome de calibre elevado.

A derrubada do veto a um projeto de lei que aumenta o limite máximo de renda para que idosos e deficientes tenham acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) foi a gota d’água para o governo. A medida, que traz um impacto anual de 20 bilhões de reais nas contas públicas, mostrou ao governo que é preciso “rachar” o Centrão.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Jornalismo se atem aos fatos e não a especulações. Não precisa ser “simpático” ao governo, mas q dê a notícia com honestidade sem viés ideológico. Parece que está nascendo um grande veículo de comunicação. Se mantiverem essa linha editorial, será a maior e melhor Revista do Brasil.
    Parabéns!
    PS: Por favor, contratem apenas jornalistas sérios que possam recuperar a imagem tão desgastada da categoria.

  2. Até que enfim estamos tendo jornalismo.
    Li toda a matéria apreensivo esperando a maldade e sobretudo a falta de patriotismo. Mas não foi o que aconteceu a matéria foi dada de forma honesto.
    Quero parabenizar a revista e abençoar todos os integrantes.
    Muito obrigado.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.