Por causa de Pazuello, jornalista se irrita com Bolsonaro

Após recuo em portaria do aborto, Allan dos Santos disparou críticas contra o ministro da Saúde e afirma ter pedido para que o presidente não lhe telefone mais
-Publicidade-
O jornalista Allan dos Santos | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
O jornalista Allan dos Santos | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL | O jornalista Allan dos Santos | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

Após recuo em portaria do aborto, Allan dos Santos disparou críticas contra o ministro da Saúde e afirma ter pedido para que o presidente não lhe telefone mais

jornalista
Apoiador do presidente, jornalista se irritou com portaria da Saúde | Foto: Agência Brasil
-Publicidade-

O jornalista Allan dos Santos classificou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, como “canalha e hipócrita”. A reação contrária veio depois que a pasta do governo publicar uma portaria que retira a obrigatoriedade de médicos acionarem a polícia em caso de aborto e o oferecimento de exames de ultrassom antes da interrupção da gravidez.

Allan disse ter enviado a seguinte mensagem por meio do aplicativo WhatsApp para o presidente Jair Bolsonaro: “Nunca mais me ligue”. O blogueiro ficou inconformado com a portaria do governo federal.

Entenda

A nova portaria assinada pelo general Eduardo Pazuello estabelece procedimentos a serem adotados em casos de abortos permitidos por lei, como a gravidez advinda do estupro. As outras hipóteses são o risco de morte da mãe ao longo da gestação ou parto e casos de bebês diagnosticados com anencefalia.

Um dos pontos que provocou polêmica na portaria anterior e revoltou parte da bancada feminina no Congresso Nacional foi a obrigatoriedade de oferecer um exame de ultrassom para que a gestante vítima de estupro pudesse ver o feto.

A nova portaria praticamente repete a anterior, mas com algumas novidades, como a retirada do ultrassom, para que a mulher fosse forçada a ver o feto que deseja abortar. No texto anterior, a medida também obrigava o médico a acionar a polícia após o acolhimento de vítimas de estupro.

 

 

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

23 comments

  1. O Allan é um excelente jornalista, porém em certos assuntos é extremista e todo extremo é um retrocesso! O aborto em geral não deve ser liberado e ponto final, exceto em casos de estupro como foi o caso da menina de 10 anos.

      1. Estou de pleno acordo com Pazuello, achei exelente a medida! E isto não é obrigatório se a mulher quiser ter um filho de um estuprador a decisao é dela !

    1. Também sou contra qualquer tipo de radicalismo e neste caso em especial creio que tudo que for feito no sentido se preservar a vítima de estupro é válido.Lembrando que todo a exposição da vítima deve sempre buscar preserva-la, jamais expol-lá.

    2. Não teve a mudança que o Allan saiu gritando que teve. A portaria não “facilitou” nada, ele que é histérico e deu pra falar coisas sem fundamento agora.
      Alguém lembra das maletas que ele falou que tinha em Brasília? Cadê? Até agora não provou nada. Perdeu minha confiança.

    3. Concordo em gênero, número e grau contigo. O existe uma linha muito tênue entre o apoio e a rivalidade. Observem os casos do Brigadeiro, o Anão Moura, o Chilique Moura Brasil, os Antas. Tanto o Alan quanto o Prof. Olavo as vezes exageram demais no tom.

    4. O aborto sendo o assassinato de uma criança na barriga da mãe, de modo como lançado em um liquidificador, ou seja triturado. Então a criança recebe uma condenação de morte que nem o estuprador recebe.

  2. Esse rapaz não deveria ser notícia em lugar algum. Temperamental, se julga o arauto da virtude e da verdade, acredita piamente que fez o Bolsonaro, quando a realidade é o contrário. Muito escandaloso.

  3. O Allan (e outros da bancada dele, em menor escala), infelizmente, acha que é o Olavo de Carvalho. Até os trejeitos e o cigarrinho tenta copiar. O problema é que não é, não chega nem perto, precisa ainda estudar MUITO até chegar lá.

    Acredito que seja bem-intencionado, mas nesse ímpeto de querer se pronunciar com ares de “expert” sobre a mais vasta gama de assuntos, de direito a estratégia militar a aborto, muitas vezes acaba soltando abobrinhas grotescas que fazem quem estudou a fundo os temas debatidos querer morder os cotovelos. E por consequência, denigre o próprio trabalho.

    O tempo e a experiência hão de mitigar essas tendências. O convencimento do adversário não exige gritos, mas antes, ponderação, estudo e argumentos sólidos.

  4. A gengiva desse daí só não é maior que o ego. Saiu espalhando fake news pra detonar o presidente (no YouTube é só amor, pra não perder a audiência, mas no Twitter já ensaia virar oposição por não ter sua vaidade alimentada), fez um showzinho pra aparecer e mesmo sendo desmentido pelos próprios amigos (do Estudos Nacionais, site mais sério entre os de olavistas) duvido que volte atrás e se retrate.
    Podem notar que essas “críticas” estilo Nando Moura que ele e alguns próximos andam adotando são muito mais briga por influência e despeito por não tê-la que qualquer outra coisa. Do nada atacam Damares quando ela é cogitada pra vice, todo dia falavam da AGU, mas aí o Mendonça sai de lá e esquecem que ela existe (o problema não era a AGU fazer ou deixar de fazer algo que o “especialista” achava que dava, mas sim que o AGU tinha influência sob o presidente), sempre focam nos ministros palacianos com meias-verdades ou mentiras pq sabem que costumam ser os que tem mais acesso ao presidente, etc.
    Um amigo careca do Allan (que virou oposição, apesar de ainda ser meio sonso), por exemplo, antigamente dizia que estava escrevendo o estatuto da Aliança pelo Brasil. Não escreveu e nunca mais falou no assunto, mas saiu atacando a tentativa de criar o partido depois de algum tempo. Provavelmente foi destituído dessa função e perdeu influência.
    Sempre suspeitem de e-celebs que agem de um jeito no Youtube/Facebook e de outro no Twitter, que fazem redemoinho em copo d’água e usam fake news pra bater no presidente, mas sem coragem de assumir abertamente esse papel, sempre se fingindo de amigos. É tudo briga pra ter mais influência e anular quem tem a dita cuja. Podem ver que, no MEC, o Weintraub inicialmente foi atacado e tentaram derrubá-lo, mas aí do nada passaram a defender ele como salvador sem ele ter mudado nada do que estava fazendo. Motivo? Provavelmente que ele passou a falar mais com eles e aumentou sua influência. O Milton entrou e, também sem mudar nada, é atacado inclusive por coisas que o Weintraub fez (Abraham contratou algumas pessoas com passagem por ONGs esquerdistas, como a Ilona, coisa que aliás só descobrimos depois dele sair, pq após o ataque inicial passaram a ignorar isso). Motivo? Não é veículo de influência de gente que já foi do MEC mas foi demitido pelo Weintraub (com razão) depois da celeuma com o Vélez, e sim de calvinistas.
    O Vélez, em seu livro, diz basicamente a mesma coisa.
    Espero que todos abram os olhos pra esse comportamento lobbyista de parte de certos influencers de direita que estão com narrativas cada vez mais histéricas e sem-fundamento contra o presidente.

  5. O “Capitão Maleta” é o novo NM. Estão tentando “amenizar”” o que ele falou. Ele fez muita coisa boa, mas agora deu a maior munição do mundo com a história “das escutas” e sua fuga para os EUA, para o Lex Luthor usar no inquérito da Fake News e pior que o próprio Presidente falou que sofreu Fake News com essa história, agora sim a coisa volta a toda e com o apoio do povo! . No fim nossa a liberdade de expressão, irá ser terminada, por gente que quer mudar o estrago de 30 anos em um ano.

  6. Falta de auto-controle e falta de compostura. Fazer barraco e papel ridículo é algo incontrolável a pessoas imaturas que se deparam com a atenção de muitos ao mesmo tempo. Se sentem os picas das galáxias, viram tipo, nando moura, joice hasselman e outros trastejantes

  7. Quanto mimimi nesses comentários, mto julgamento, mta projeção, até parece que nenhum dos que apontam o dedo nunca sentiram ira antes. É a sombra do politicamente correto assolando esta nação. É tão difícil reter oq é bom, oq é verdade, relevando picuinhas? só vejo sinceridade no trabalho do Allan

    1. Cadê a sinceridade em inventar uma história sobre maletas, espalhar fake news e descer o pau no presidente com base nelas, fazer showzinho de criança querendo aparecer (“nunca mais ligue pra mim”, ui), ser desmentido e se recusar a admitir isso? Só é politicamente incorreto criticar o crítico?

      1. Como vc sabe q a história das maletas não é verdade? Vc ficou chatiadinho pq ele pediu pra não ligar mais? Oq q tu tem a ver com a relação dos dois? Quem tá espalhando fake News é vc com esse comentário.

  8. No início da campanha de Bolsonaro que comecei a me interessar pelo tema. Cheguei por pouco tempo seguir o Alan jornalista, mas percebi que em algumas análises não era o que eu acreditava. E logo após aquela narrativa do “não é hora de fazer lava toga”, impulsionado pelo Flávio Bolsonaro.. percebi que ele não era coerente nem com ele mesmo.

  9. Um hard case como o tema aborto não deveria fazer um apoiador do governo se enraivecer tanto. Infelizmente é escolha terrível, uma escolha de uma pobre Sofia estuprada. Não parece que o pano de fundo da questão é esse e a histeria não diz respeito a essa questão central crucial, tão amarga, tão sombria.

  10. Sou radicalmente contra o ABORTO, mas a decisão de fazê-lo não me pertence e cada um é LÍVRE para tomar a sua decisão e SUPORTAR as consequências advindas, seja no campo material, emocional ou espiritual.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site