Senado abre processo para compra de máscaras - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 22 jun 2020, 16:30

Senado abre processo para compra de máscaras

22 jun 2020, 16:30

Senado lança edital de licitação para aquisição de 28,1 mil máscaras de proteção reutilizáveis. Elas serão destinadas a senadores e servidores

máscaras - obrigatoriedade - brasil

Máscaras serão destinadas para senadores, servidores e demais colaboradores | Foto: Mika Baumeister/Unsplash

O Senado abriu licitação para a compra de máscaras de proteção reutilizáveis. Em edital lançado nesta segunda-feira, 22, a Casa anunciou a intenção de comprar 28,1 mil máscaras, a um custo de R$ 117,18 mil. Isso equivale a cerca de R$ 4,17 por unidade, especifica o edital.

A compra visa a distribuição de máscaras para o “atendimento do interesse da administração”. Ou seja, será destinada para os 81 senadores, os 5.906 servidores efetivos e comissionados, estagiários e menores aprendizes. “Para cada usuário serão disponibilizadas cinco unidades de máscara”, destaca um trecho do edital.

O quantitativo foi acrescido de uma margem de segurança de, aproximadamente 10%, informa o Senado. “Dada a imprevisibilidade do período de incidência da pandemia e, consequentemente da adoção das medidas para a sua contenção”, comunica.

Obrigatoriedade

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não recomenda mais que trinta lavagens das máscaras de tecido, continua o Senado. “Logo, a substituição de algumas unidades durante a vigência dessas medidas pode se fazer necessária”, sustenta.

O Senado observa, ainda, que, desde 29 maio, vigora o Ato do Presidente nº 06/2020, da própria Casa. O instrumento determina a obrigatoriedade de utilização de máscaras de proteção facial em todos os espaços do Senado, sem prejuízo das recomendações de isolamento social e daquelas expedidas pelas autoridades sanitárias”, destaca.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. Eu tive que comprar a minha mascara e as da minha família. Mas um Senador e os funcionários do senado (que estão trabalhando em Home Office) ganham pouco e nós contribuintes devemos pagar as mascaras que eles vão usar e levar para casa. Esse país não te jeito. Já já vem a compra da Câmara.

    Responder
  2. Esses crápulas têm que ser desmascarados. Somente uns 30 no máximo, têm consciência de que o POVO q os elegeu EXIGE retratação, p porcos serviços prestados nesta legislatura. A PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA E O FIM DO FORO PRIVILEGIADO são as únicas PAUTAS q resgatam ñ PAÍS das mãos de ORCRIMS. Aqui em MG Anastasia é Rodrigo Pacheco devem explicações do pq ñ se alinham c o interesse público. Com este performance, nunca mais serão reeleitos.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês