Senado aprova projeto que autoriza doação de refeições não vendidas - Revista Oeste

Edição da semana

Em 15 abr 2020, 05:40

Senado aprova projeto que autoriza doação de refeições não vendidas

15 abr 2020, 05:40

Empresas que fornecem refeições prontas a hospitais, supermercados e cooperativas poderão realizar as doações

Foto: PxHere

O Senado aprovou um projeto de lei que autoriza a doação de refeições prontas para consumo  produzidas em excesso e que, por isso, não foram comercializadas.

O projeto, do senador Fernando Collor (Pros-AL), visa a dar respaldo jurídico à doação de refeições.

A medida trata das empresas que fornecem refeições prontas a hospitais, supermercados e cooperativas, entre outros.

Nesse caso, o excedente da produção não comercializado, e que ainda esteja próprio para consumo, pode ser doado. A doação, segundo o projeto, pode ser feita diretamente, com a colaboração do poder público ou de entidades beneficentes de assistência social.

Receberão as doações pessoas, famílias ou grupos em situação de vulnerabilidade ou de risco alimentar ou nutricional, de acordo com a Agência Brasil.

Os senadores aprovaram o projeto de maneira unânime e criticaram a falta de regulamentação, até então, de uma política de doação de alimentos. “Em um país em que as pessoas estão passando fome, é inaceitável que a gente jogue comida fora”, disse Leila Barros (PSB-DF).

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Espera-se que nenhuma empresa ligada a qualquer político seja intermediária na distribuição e “cobrança ” por esse serviço .

    Responder
  2. Não entendi nada. Aí mora um jabuti gigante. Regulamentar doação é forçar o doador a uma possivel contravenção.

    Responder
  3. Jabuti não sobe em árvore… se é de autoria do Collor, aí tem.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês