Singapura mantém proibição ao casamento gay - Revista Oeste

Edição da semana

Em 31 mar 2020, 17:57

Singapura mantém proibição ao casamento gay

31 mar 2020, 17:57

Nova lei aprovada proibe itimidade entre homens com pena prevista para até dois anos de prisão

Foto: PxHere

O tribunal de Singapura confirmou na segunda-feira, 30, uma lei raramente usada que criminaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Segundo a organização Human Dignity Trust, os juízes do mais alto escalão de Singapura rejeitaram a contestação à seção 377A do código penal, que proíbe além do casamento gay a intimidade entre homens do mesmo sexo.

Lei prevê pena de prisão de até dois anos.

De acordo com o primeiro-ministro, Lee Hsien Loong a sociedade em Singapura “não é tão liberal nessas questões”.

“Ao se recusar a retirar esta lei arcaica e discriminatória, o Tribunal reafirmou que todos os gays em Singapura são efetivamente criminosos não detidos”, lamentou Téa Braun, diretora do Human Dignity Trust.

Apesar da lei, o país tem anualmente sua versão de uma Parada Gay, mas o direito da liberdade de escolha continua sendo monitorado pelo governo.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês