STF analisa hoje medida que tirou a polícia das favelas - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 4 ago 2020, 08:27

STF analisa hoje medida que tirou a polícia das favelas

4 ago 2020, 08:27

Operações em comunidades só podem ocorrer em “casos excepcionais”; decisão foi tomada pelo ministro Luiz Edson Fachin

stf

Depois da decisão de Fachin, criminosos expandiram os domínios do tráfico, mas o STF pode rever isso 
Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL

O plenário do Supremo Tribunal Federal decide nesta terça-feira, 4, se mantém ou rejeita a medida que veta ações da polícia em favelas do Rio de Janeiro durante a pandemia de coronavírus.  Em 5 de junho deste ano, o ministro Luiz Edson Fachin determinou que os agentes só podem entrar nas comunidades em “casos excepcionais”. Oeste noticiou que, depois disso, traficantes invadiram esses locais de modo a expandir seus domínios.

Leia também: Criminosos invadem favelas e criam ‘Complexo de Israel’

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. O Brasil é surreal!!

    Responder
    • Nunca vi uma decisão tão bizarra como está.favirece unicamente os bandidos. Favorece os traficantes. Agora eles se encontram fortalecidos nas favelas com os moradores completamente refém da criminalidade. A população sabe que a polícia está ausente e se entrega ai tráfico. Baseado em que fácil tomou tal decisão absurda? Qual a justificativa sólida para isso? Não consigo entender. O STF produz várias peças por semana contra ele mesmo.

      Responder
  2. Nunca na história desse país, vi o stf se meter tanto e em tudo que não é de sua competência. Antes os corruptos da esquerda pintavam e bordavam e eles ficavam quietinhos, sem dar um pio, será por que.

    Responder
  3. O relator da Lava Jato a favor do Crime Organizado. INACREDITÁVEL!!
    A PF e a PRF não param de apreender drogas pelo Brasil. Toda semana são toneladas divulgadas em suas redes sociais.

    Responder
  4. Os companheiros agradecem, penhorados. Diriam: Tamujuntu!

    Responder
  5. Já decidiram a favor dos traficantes!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O partido contra o Brasil

Ninguém ainda descobriu no planeta um jeito tão eficaz de concentrar renda quanto a fórmula usada para administrar as contas públicas no país

A paciência acabou

Os brasileiros começam a reagir à cassação dos direitos individuais

Os novos senhores do mundo

Os gigantes da tecnologia censuram Trump, fazem o que bem entendem e exercem um poder global desmedido. Isso é justo?

Eficácia

“Você demorou muito a comprar. Eficácia depende de rapidez” / “Poxa… Se eu soubesse teria comprado mais rápido. Ando muito dispersivo”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Como surgiu o novo coronavírus?

A resposta mais provável, até o momento: o vírus teve origem em pesquisas com manipulação genética no Instituto de Virologia de Wuhan

Globalistas assanhados com Biden

Eles não costumam viver de fatos, apenas de narrativas. Adotam a visão estética de mundo, e por isso a ONU é seu maior símbolo

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês