'Supercomputador' que falhou nas eleições foi comprado sem licitação

Edição da semana

Em Em 17 nov 2020, 15:34

‘Supercomputador’ que falhou nas eleições foi comprado sem licitação

17 nov 2020, 15:34

Contrato no valor de R$ 26,2 milhões foi publicado no ‘Diário Oficial’ da União

Barroso

Presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, e vice-presidente Luiz Edson Fachin
Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE

Responsável pelo maior vexame eleitoral do país desde o fim do voto em cédulas, o “supercomputador” usado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no domingo 15 foi comprado sem processo de licitação. O contrato, no valor de R$ 26,2 milhões, foi publicado no Diário Oficial da União em 25 de março deste ano. A beneficiada é a empresa Oracle do Brasil.

De acordo com a BBC News Brasil, usando a ferramenta Siga Brasil, do Senado Federal, R$ 19,5 milhões já foram empenhados — jargão orçamentário para compromisso de gastos.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 Comentários

  1. quem fará uma investigação critriosa para apuração de responsabilidades? Quem em caso de culpa fará devolução ao erário público???????

    Responder
    • Gestão temerária dos ilustres supremos que são donos da verdade.
      Explica isso Barrosão!!!

      Responder
  2. Com licitação a propina já rola solta. Imagine sem licitação então! Duvido que haja investigação.

    Responder
  3. Quem compra computador hoje em dia? Usa a núvem.

    Responder
  4. Em 1967, perguntaram a um mercenário polonês Rafal Ganowicz qual era a sensação de se matar um ser humano. Ele respondeu : Não sei, só matei comunistas! Vão pro inferno desgrahças! E todos que votaram nesses pulhas!

    Uma frase para os babacas neutros indolentes e frouxos :

    Os lugares mais quentes do inferno são reservados para aqueles que em tempo de crise moral, se mantiveram em posições de neutralidade! Dante Alighieri, A divina comédia.

    BOTA TUDO NO CHÃO E NÃO DEIXA SOBRAR TERRA SOBRE TERRA!

    Responder
  5. hora de enfiar a bala na fuça nesse desgrahçado gigolô do soros!

    Responder
  6. Essas empresa Oracle, é de fato, uma empresa que goza de bom conceito na área de TI. Ela é especializada tanto em softwares como em hardwares e também em banco de dados. Talvez seja por isso que não houve licitação pois em determinados casos só mesmo uma empresa como essa, está capacitada para essa finalidade. O problema é que o sistema não é feito para rechaçar ataques de um bom hacker e foi isso que aconteceu, a despeito do Barrozinho.

    Responder
  7. Quem é que vai investigar esses caras do STF? Realmente estamos ferrados, Urnas que ninguém confia, funcionários públicos endeusados. E quem deveria investigar, estão respondendo por crimes, e sendo investigados pelos suspeitos.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

O custo e o valor de ser ‘contrariador’

Prêmios como o ‘Contrarian Prize’ servem para aplacar o medo que muitos têm de se manifestar em defesa daquilo em que acreditam e assim reduzir o poder social do cancelamento cultural

Mentir e trancar é só começar

“Se você começar a proibir aglomeração em ônibus, vai faltar povo pra abastecer a quarentena vip, né?” / “Aí você captou tudo. Vidas doces importam”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Não é erro, é viés!

Não é uma tese conspiratória imaginar que há, sim, esquema nas pesquisas. Essa é uma possibilidade plausível

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O ex-mártir

O ex-mártir

"O antigo santo da luta anticorrupção, bandido para a esquerda e traidor para os bolsonaristas é um homem como qualqu...
A descoberta do ano

A descoberta do ano

"Desde o primeiro caso de covid-19, boa parte dos políticos viram na epidemia uma belíssima oportunidade para tirar pr...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 37 — 04/12/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês