Informação partiu da Anvisa, que permitiu a retomada dos testes do imunizante em desenvolvimento pela universidade com a AztraZeneca no Brasil