Ministro se defendeu das críticas de que poderia agir como um representante do presidente Jair Bolsonaro no órgão