China e Rússia planejam construção de estação espacial lunar

O objetivo dos países é ‘promover o estudo do espaço para fins pacíficos, em benefício de toda a humanidade’
-Publicidade-
Xi Jinping [<i>à esq.</i>] e Vladimir Putin firmaram mais uma parceria
Xi Jinping [à esq.] e Vladimir Putin firmaram mais uma parceria | Foto: Divulgação/Kremlin

China e Rússia anunciaram ontem, terça-feira 9, planos para construir, juntas, uma estação espacial lunar. De acordo com a agência espacial russa, a Roscosmos, e a chinesa, a CNSA, será criada uma unidade de pesquisa científica na órbita ou na superfície da Lua. Essa unidade também ficaria à disposição de outras nações. O objetivo, segundo o governo dos países, é fortalecer a interação na produção científica e promover o estudo e o uso do espaço para fins pacíficos, em benefício de toda a humanidade. Em 2020, a Rússia anunciou que havia desistido da participação no programa lunar norte-americano Artemis, que prevê o retorno de seres humanos à Lua em 2024, alegando que o programa havia se convertido num projeto político.

Embora seja pioneira das viagens espaciais, a Rússia ficou, nos últimos anos, à sombra dos EUA e da China. Os russos se preparam para festejar, em 2021, os 60 anos de sua primeira viagem espacial tripulada. Em abril de 1961, o país foi o primeiro a enviar um homem ao espaço, o cosmonauta Yuri Gagarin, e, dois anos depois, a primeira mulher, Valentina Tereshkova. A China registrou um marco histórico em dezembro de 2020, quando uma sonda pousou no lado visível da Lua e recolheu amostras da superfície. Em janeiro de 2019, uma outra sonda chinesa já havia pousado no lado oculto do satélite terrestre. As informações são do DW.

-Publicidade-

Leia também: “Usado por opositores de Putin, Twitter terá velocidade reduzida na Rússia”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.