Games podem fazer bem aos adolescentes

Benefícios são reais desde que se jogue de forma moderada
-Publicidade-
Imagem: reprodução Pixabay
Imagem: reprodução Pixabay

Um recente estudo publicado pelo site European Psychologist, demonstrou que games podem ser benéficos ao desenvolvimento cerebral.

O estudo, de Moisala Alho e K Salmela-Aro, observou por mais de uma década 167 participantes entre 13 e 24 anos. Concluiu que os gamers superavam os que não jogavam em várias funções cognitivas. Além disso, dividiam sua atenção entre diferentes tarefas visuais e recordavam melhor a localização de objetos escondidos. O estudo também concluiu que todos os tipos de videogames podem ser benéficos. 167 participantes entre 13 e 24 anos fizeram parte da pesquisa.

Mas, segundo o Wall Street Journal, esses benefícios são conseguidos desde que o usuário não mergulhe nos games de maneira excessiva. Uma “dose” aceitável seria jogar uma vez por semana. O resultado depende de cada um.

-Publicidade-

“Os pais não deveriam pensar que seus filhos terão vantagens cognitivas se começarem a jogar videogames, se ainda não jogam”, esclareceu o doutor Moisala. “Mas não devem se preocupar achando que os games vão fritar os cérebros dos garotos e garotas e transformá-los em zumbis, porque isso não é verdade”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.