Ministro de Minas e Energia diz que Plano Nacional de Hidrogênio será lançado em 60 dias

As diretrizes também servirão para nortear a inserção dessa fonte de energia na matriz de consumo brasileira
-Publicidade-
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Na quinta-feira 3, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o governo vai lançar o Plano Nacional do Hidrogênio (PNH) nos próximos 60 dias. A informação foi revelada durante seu discurso na 12ª Reunião Ministerial de Energia Limpa. O evento contou com a participação de 29 países e da Comissão Europeia.

“Em 60 dias, vamos apresentar as diretrizes para o nosso Plano Nacional de Hidrogênio”, disse ontem o ministro em videoconferência.

-Publicidade-

A elaboração das diretrizes do PNH já havia sido aprovada no fim de abril pelo Conselho Nacional de Política Energética. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, as novas normas vão organizar o desenvolvimento da infraestrutura de produção de hidrogênio, seu armazenamento, transporte e distribuição. As diretrizes também servirão para nortear a inserção dessa fonte de energia na matriz de consumo em setores-chave, como transportes, siderurgia e fertilizantes.

Leia também: “Cabo submarino de fibra óptica ligando Brasil e Europa é inaugurado”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comments

  1. Pelo pouco que conheço sobre o tema, o armazenamento, transporte e distribuição de hidrogênio é muito problemático porém vi uma aplicação muito promissora no tocante a veículos movidos a células de hidrogênio, nesse caso em particular imagino ser um dispositivo seguro pois o hidrogênio é produzido e imediatamente consumido não se permitindo o seu problemático armazenamento. Mas notei que esse assunto saiu dos comentários, e agora está em alta esses tais carros elétricos que não vejo futuro neles por vários motivos, o principal deles é a vida limitadas das baterias que receberão recarga de fontes de outras modalidades de geração de energia. Essas baterias tem um custo muito alto e vida útil limitada, tornando o custo/benefício quase zero.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site