Novo colírio pode aposentar óculos de leitura

O medicamento foi aprovado nos EUA e começa a ser comercializado nesta semana
-Publicidade-
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um novo colírio, chamado de pilocarpina e desenvolvido pela farmacêutica Allergan, promete substituir os óculos de leitura. A medicação foi aprovada pela FDA (Food and Drug Administration), uma agência do Departamento de Saúde dos Estados Unidos, que equivalente à nossa Anvisa. A aprovação aconteceu em outubro e a medicação chegou às farmácias americanas nesta semana.

Segundo a Allergan, cada gota do colírio será responsável por melhorar a visão de pessoas com miopia, aquelas que têm dificuldades de enxergar de longe, por um período que pode variar de seis a dez horas.

O remédio aumenta a capacidade de redução da pupila. Como resultado, há uma expansão na profundidade de campo ou a profundidade de foco. George Waring, um dos principais pesquisadores envolvidos no desenvolvimento do colírio, afirmou que essa redução faz com que a pessoa se concentre em diferentes pontos de forma natural.

-Publicidade-

Por enquanto, o produto só está à venda nos Estados Unidos por US$ 80 (cerca de R$ 450). O valor ainda é alto, levando em consideração que o colírio dura apenas um mês. Mas, se ele começar a ser produzido em larga escala e comercializado em outros países, poderá ajudar os 2,6 milhões de míopes do mundo, segundo estatística da OMS.

Contraindicações do colírio

Como toda medicação, o uso de pilocarpina pode causar alguns efeitos colaterais, como dores de cabeça e vermelhidão nos olhos, e não é recomendado seu uso à noite. Além disso, testes mostraram que o colírio teve maior eficácia em pessoas entre 40 e 60 anos.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. O titulo diz “oculos de leitura” e a matéria diz que é para miopia, quem tem dificuldade de enxergar de longe. Matéria só confundiu…

  2. Não esquecer que um óculos dura anos e o colírio não, então o verdadeiro custo do colírio é muitíssimo maior e assim te fazem gastar td mês. Como com a diabetes, pressão alta, etc…. sempre te fazendo gastar mais. Isso é o verdadeiro fim dessas “descobartas”….

    1. A miopia é um erro refrativo bastante comum em que os olhos podem ver nitidamente de perto, mas não são capazes de enxergar claramente os objetos que estão longe.

  3. Esta matéria está completamente equivocada. O colírio Vuity, será usado na presbiopia, vista cansada com dificuldade de enxergar de perto. não tem nada a ver com a miopia, que é a dificuldade para ver de longe.

  4. Está piorando a qualidade dos textos. Pilocarpina é um colírio colinérgico que desencadeia a miose. Já é utilizado há muitos anos no tratamento do glaucoma de ângulo fechado. Ou seja, não é novidade na indústria farmacêutica. Com relação à miopia, é sabido que facilita a visão para perto. Já tinha conhecimento disso desde o início de meus estágios e posterior especialização em oftalmologia. Daqui a pouco vão acabar com a mesma qualidade da dita, conforme o mestre Augusto Nunes refere, “velha imprensa”.

  5. Tudo é questão de custo/benefício.

    Para muitos, será um medicamento usado praticamente todos os dias.

    Eu esperaria pelo menos 30 anos antes de aplicar regularmente esse novo colírio em pessoas jovens. Apenas por precaução, para que se conheça melhor os efeitos colaterais na córnea e no cristalino. O uso irregular, provavelmente acarretará desconfortos como dores de cabeça ou nos olhos, como acontece com o uso irregular de óculos. Causará dependência e também desconforto na transição, quando o efeito diminui gradualmente.

    Esse processo de aprendizado também ocorreu com a cirurgia de miopia.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.