Supercomputador mais potente do mundo vai buscar tratamentos para covid-19

Descobertas podem levar ao desenvolvimento de novos medicamentos para a doença
-Publicidade-
O supercomputador Fugaku: sete anos em desenvolvimento
O supercomputador Fugaku: sete anos em desenvolvimento | Foto: Divulgação

Um projeto da Universidade de Tóquio, no Japão, vai utilizar o supercomputador Fugaku para identificar potenciais novos tratamentos para a covid-19. Liderada por Takefumi Yamashita, professor associado do Centro de Pesquisa para Ciência e Tecnologia Avançada (RCAST), a pesquisa vai utilizar a supermáquina para identificar compostos inibidores de pequenas moléculas que podem ser usados como drogas potenciais em tratamentos à covid-19 e esclarecer o mecanismo molecular pelo qual as infecções pelo novo coronavírus são inibidas.

Segundo um comunicado da Fujitsu, companhia que criou o computador juntamente com o instituto de pesquisa Riken, afirmou que “ao utilizar o Fugaku, simulações moleculares para proteínas virais e formulação de compostos inibidores podem ser aceleradas, esclarecendo a complexidade dos estados de ligação e interações entre proteínas virais e compostos inibidores, com o objetivo de identificar compostos inibidores que podem levar à descoberta de novas drogas terapêuticas em um estágio inicial”.

A pesquisa inicia em 22 de junho e continuará até março de 2022.

-Publicidade-

Superrápido

O Fugaku entrou em operação em 2019, depois de sete anos de desenvolvimento. Em 2020, recebeu o título de supercomputador mais rápido do mundo, superando o Summit da IBM, que liderava o ranking das máquinas. O resultado do Fugaku foi três vezes maior que o do concorrente, atingindo 415,5 Pflops (petaflops), sigla em inglês para ‘operações de ponto flutuante por segundo’, unidade que mede a quantidade de cálculos que uma máquina é capaz de fazer a cada segundo.

No caso do Fugaku, ele consegue realizar quatrilhões de cálculos por segundo. De acordo com uma reportagem do portal UOL, isso seria o equivalente a 327.963 celulares Galaxy S20 ou a 40.421 unidades do PlayStation 5.

Leia também: “O computador que vai mudar o mundo”

Com informações dos sites ZD Net e Olhar Digital

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. Não vai funcionar…Segundo os luminares da imprensa brasileira, os maiores especialistas em porra nenhuma do mundo, só existe UM caminho para doenças virais: as vacinas. Essas antas esqueceram os bons resultados do tratamento medicamentoso com um coquetel de drogas contra a AIDS, que é uma doença viral, que até hoje não tem vacina, ou os bons resultados do Tamiflu no tratamento do H1N1 no início da doença também viral. Mas os tapa-olhos desses lacradores só enxergam as vacinas experimentais como solução. Triste fim da grande mídia.

    1. O próprio deputado e principal agente no combate à pandemia do H1N1, acabou de dizer na tal CPI DO CIRCO, que esse medicamento Tamiflu é pura enganação que ele só aliviava os sintomas e nada mais. Quanto à sua impressão sobre as vacinas, concordo com ela.

    2. Na vdd esse ¨esquecimento ¨, é apenas uma questão politica, como tudo q temos vendo, pouco importa a saúde da população, ou o mantra SALVAR VIDAS
      hipócritas, bandidos!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site