Vazamento de dados: governo fecha o cerco contra operadoras

O Ministério da Justiça deu 15 dias para Claro, Oi, Tim e Vivo explicarem a exposição de informações pessoais de brasileiros
-Publicidade-
As operadoras terão de explicar o vazamento de dados de 103 milhões de celulares
As operadoras terão de explicar o vazamento de dados de 103 milhões de celulares | Foto: Reprodução/Pexels

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, notificou as operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo e cobrou explicações sobre o vazamento de dados de 103 milhões de celulares. O objetivo é identificar quem teve as informações pessoais acessadas neste mês, quais dados foram indevidamente obtidos e de que forma foram vazados. O prazo para resposta é de 15 dias, segundo o governo federal. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão responsável por fiscalizar e editar normas previstas na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), informou na semana passada que está apurando o vazamento de informações pessoais. Em janeiro, já havia sido identificado outro megavazamento na internet, o de 223 milhões de números de CPF colocados à venda por criminosos — o número de dados vazados é maior do que a população do país (estimada em 212 milhões de pessoas) porque inclui dados de cidadãos que já morreram.

Leia também: “‘Hacker’ pode ganhar R$ 80,8 milhões com dados vazados”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.