TSE derrota Fachin e rejeita punir 'abuso religioso' nas eleições

Edição da semana

Em Em 19 ago 2020, 06:40

TSE derrota Fachin e rejeita punir ‘abuso religioso’ nas eleições

19 ago 2020, 06:40

Entidade evangélica alertou que a medida provoca insegurança jurídica e viola a liberdade religiosa

tse

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou na noite da terça-feira 18 a tese defendida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin para que políticos possam ter o mandato cassado por “abuso de poder religioso” já nestas eleições. Atualmente, a legislação eleitoral prevê três tipos de abuso que podem levar à perda do mandato: o político, o econômico e o uso indevido dos meios de comunicação. Contudo, o juiz do STF propôs criar também a possibilidade de se punir quem utiliza “sua ascendência eclesiástica” sobre algum grupo para influenciar na escolha de candidatos.

Leia também: STF decide dobrar a aposta e enfraquece ainda mais a polícia

Na sessão, o ministro do TSE Luís Felipe Salomão destacou não haver previsão legal que combata especificamente o tal abuso religioso. Além disso, o magistrado alertou para a questão do subjetivismo, em que cada um pode chegar à conclusão diversa. Portanto, não havendo uma base objetiva para a configuração desse abuso. O ministro Og Fernandes foi na mesma linha ao mencionar que não é preciso de uma categoria nova para punir eventuais abusos na eleição. Isso porque já estão incluídos na palavra “fraude, cuja acepção abrange a coação desses líderes sobre determinado grupo”.

Liberdade religiosa

Em memorial distribuído aos ministros da Corte Eleitoral, a Associação Nacional de Juristas Evangélicos argumentou que a legislação eleitoral não prevê o chamado “abuso de poder religioso”, de modo que a aplicação de sanções com base nesse novo conceito tem o potencial de gerar “grave insegurança jurídica e violar a liberdade religiosa”.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

15 Comentários

  1. Felizmente o apoiador de Dilma e do MST foi derrotado!

    Responder
    • Criar insegurança jurídica é a especialidade desses ministros desqualificados do STF.

      Responder
  2. O STF está ficando cada vez mais prodigo em lambança jurídica. . Vamos criar também punição aos sindicatos que influenciam o voto dos sindicalizados? Tutelar a nação não auxilia em seu amadurecimento. Penso que nada pior para um judiciário que cair no labirinto do subjetivismo.

    Responder
    • Maravilhoso comentário Fred, isto está virando pro lado pessoal

      Responder
  3. Quando sindicatos, universidades públicas, emissoras d TV e seus artistas, se juntam p apoiar um candidato, ninguém vê nada d mais, neste caso eles gritam aos 4 ventos “É A DEMOCRACIA É A LIBERDADE DE EXPRESSÃO”. Mas quando essa mesma democracia prejudica a esquerda e o discurso deles, aí se vê todos os tipos de crimes possíveis e impossíveis. Os membros do STF precisam largar a toga e assumir a personalidade partidária, e vestir a camisa vermelha q os colocou na corte.

    Responder
    • Exatamente! Sem mais palavras!

      Responder
    • Excelente síntese, Rogério. Lamentavelmente, alguns julgadores buscam “moldar” a lei para ajustá-la aos seus interesses pessoais, às suas idiossincrasias.

      Responder
  4. Esquerdista raiz, principalmente quando o sujeito advoga para uma organização criminosa travestida de movimento em defesa de quem não tem terra, tem surtos de autoridade, ditador e negacionistas de direitos fundamentais da sociedade. Sob a ótica vesga do tal Fachin, que por suas defesas cegas do petismo comunista, Jesus, Buda, Gandhi, Mãe Menininha, Joana D’Arc, Dom Quixote, Antônio Conselheiro, Bida de Barão, Lutero, Bezerra de Menezes, entre tantas outras almas nobres apodreceriam no xilindró, sem dó.

    Responder
    • Derrota o Fachin (vulgo Carmen Miranda) não,goleia a Carmen, 6×1

      Responder
  5. Toma, distraído!! Pelo menos este Tribunal, tem na sua maioria, ministros descentes e cor VERDADEIRO SABER JURÍDICO. O trio infernal do STF, perdeu!!

    Responder
  6. Edson Fachin se apresenta, com o tempo e a quebra sistemática da Democracia pelo próprio STF, mais um militante de esquerda do que um simples juiz imparcial.
    Aproveita o desvio tomado pela Suprema Corte para, de fato, fazer aquilo que é a competência desses que chegaram lá por conta de seus trabalhos de advogados das pautas dos partidos de esquerda.
    Atualmente é uma verdade declarada e escancarada. Servem os atuais integrantes do STF aos partidos de esquerda, seus verdadeiros patrões, não o povo brasileiro que lhes pagam as custas, ou seja, se encontram a vontade justamente por essa ser as suas competências – Bancada Jurídica a favor dos partidos de esquerda.
    Vergonha!

    Responder
  7. Estranhei Moraes , o sempre do contra , votar a favor .

    Responder
  8. Esses sinistros cada vez mais patéticos.
    Cada dia inventam uma lambança. Ooooo
    gente ruím.

    Responder
  9. Esse Fachin …… adorador de Dilma e Lula…….pensa q pode tudo……o STF não tem limites!!!

    Responder
    • Derrubada mais uma tentativa de perseguição política.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O que é o projeto BR do Mar?

O que é o projeto BR do Mar?

Texto tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados e pode ser votado a qualquer momento no plenário...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês